Estudo global mostra: mulheres que se exercitam com regularidade sentem menos os efeitos do ciclo menstrual


• 78% das mulheres dizem que o exercício reduz os sintomas relacionados ao ciclo menstrual
• Mulheres relatam que o exercício de intensidade moderada é mais eficaz na redução dos sintomas causados pela variação hormonal do ciclo menstrual
• 1 em cada 3 mulheres já perderam um dia de trabalho devido ao ciclo menstrual – no Brasil esse número é ainda pior, 40%
• Mulheres que praticam exercícios físicos regularmente e comem cinco ou mais porções de frutas e vegetais têm menor probabilidade de faltarem ao trabalho devido aos sintomas
• 72% das mulheres afirmam nunca ter recebido nenhuma educação sobre exercícios físicos e ciclo menstrual
• 14.184 mulheres de todo o mundo participaram da pesquisa dentro do Strava – 2.011 só no Brasil
Resultados iniciais de uma pesquisa global sem precedentes em relação a mulheres ativas fisicamente mostram o enorme impacto positivo do exercício físico sobre os sintomas do ciclo menstrual. Uma equipe de pesquisadores da St. Mary’s University, no Reino Unido, e do aplicativo FitrWoman analisou as respostas de mais de 14 mil mulheres usuárias do Strava, rede social para quem pratica atividade física, em todo o mundo, revelando que 78% acham que a atividade física reduz os sintomas do período menstrual. Entre as mulheres que responderam à pesquisa estão 2.011 usuárias brasileiras da plataforma.
Os resultados também mostram que as mulheres sentem que o exercício de intensidade moderada (categorizado como “respiração difícil, porém capaz de manter uma conversa”) é mais eficaz no combate aos efeitos hormonais do ciclo menstrual. Os sintomas mais comuns citados foram cólicas, dor no peito, alterações de humor e fadiga.
Esses e outros sintomas resultam, de acordo com a pesquisa, no fato de que 69% das mulheres, em algum momento, já se sentiram forçadas a mudar a rotina de exercícios e 88% também sentem que o desempenho nas atividades físicas é pior em algum momento durante o ciclo menstrual. Além disso, no mundo, uma em cada três mulheres já perdeu dias de trabalho por conta do ciclo menstrual, número que no Brasil é mais alarmante, ultrapassando os 40%.
Há, entretanto, notícias positivas. Das 14 mil mulheres entrevistadas, as que atendem às orientações de exercícios da Organização Mundial de Saúde e comem cinco ou mais porções de frutas e vegetais por dia têm menor probabilidade de perder dias de trabalho devido aos sintomas do ciclo menstrual. Da mesma forma, quem se recupera melhor, isto é, descansa o corpo e dorme bem, ações muito importantes – assim como uma melhor qualidade e maior duração do sono, também associados à redução dos sintomas.
A pesquisa foi realizada em parceria com o Strava, rede social para atletas, e a FitrWoman, o aplicativo de acompanhamento de ciclo menstrual e exercício físico. Os 39 milhões de usuários do Strava no mundo englobam uma das maiores comunidades de mulheres ativas do mundo. Em dezembro do ano passado, a rede alcançou a marca de 2 bilhões de uploads de atividades físicas – que incluem desde corrida e ciclismo, até yoga e exercícios de ginástica.
A líder do estudo, a fisiologista do exercício Dra. Georgie Bruinvels, também co-fundadora da FitrWoman, se propôs a ajudar as inúmeras mulheres com quem falou durante sua pesquisa que veem o ciclo menstrual como uma barreira ao exercício regular ou que não tinham certeza se era saudável e seguro se exercitar em certos pontos do ciclo
“Estou muito empolgada por fazer uma pesquisa nessa escala – algo que não seria possível sem o acesso à incrível comunidade de mulheres ativas do Strava –, e espero que os resultados beneficiem as mulheres em todo o mundo”, afirma a Dra. Bruinvels. “Queríamos iniciar uma conversa importante sobre o exercício, o ciclo menstrual e outros fatores do estilo de vida que capacitariam todas as mulheres a trabalhar com o corpo, e não contra ele. Queremos que as mulheres se sintam à vontade para discutir algo que é muito normal e natural”, complementa.
Um dado alarmante é que, globalmente, 72% das mulheres relataram não receber educação sobre o exercício e seu ciclo menstrual. Neste aspecto, o Brasil aparece melhor na pesquisa, com aproximadamente 60% das mulheres relatando tal problema, ainda que seja um número consideravelmente alto. Como comparação, no Reino Unido e na Irlanda o número salta para 82%.
“Não há fóruns públicos suficientes para discutir abertamente o ciclo menstrual e a dor das atletas mulheres. Como a maior comunidade global de mulheres que praticam atividade física, o Strava se orgulha em ajudar a melhorar a compreensão das conexões entre mente e corpo, e entre a dor do período menstrual e o exercício físico”, ressalta Stephanie Hannon, Diretora de Produtos do Strava. “Estamos determinados a usar nossa plataforma para destacar como a falta de educação e discussões está impedindo um futuro mais saudável para as mulheres. Os dados mostram que aquelas que receberam alguma educação tiveram bem menos probabilidade de diminuir seus exercícios durante a puberdade – quando tantas meninas e jovens param de praticar esportes”, complementa.
A comunidade do Strava com pessoas ativas está crescendo no ritmo de um milhão de novos membros a cada 30 dias, e as integrações com aplicativos como a FitrWoman têm o objetivo de oferecer apoio e educação para ajudar as mulheres a aproveitar ao máximo seus exercícios. Para saber mais sobre o Strava, visite strava.com e, para o FitrWoman, visite fitrwoman.com.
14.184 pessoas participaram do estudo, liderado pela Dra. Georgie Bruinvels, da St Mary’s University e co-fundadora do aplicativo FitrWoman. Os entrevistados da pesquisa eram membros do Strava, a rede social para atletas, do Brasil, Reino Unido, Irlanda, Estados Unidos, França, Espanha e Alemanha.
As diretrizes de exercícios físicos da Organização Mundial da Saúde (OMS) podem ser encontradas aqui.
Dra. Georgie Bruinvel
A Dra. Georgie Bruinvel fez seu doutorado na University College London, analisando o metabolismo do ferro em atletas de provas de resistência, com enfoque específico no ciclo menstrual. Dra. Bruinvels é uma cientista pesquisadora da Orreco e co-fundadora da FitrWoman, onde está focando especificamente em entender como as mudanças hormonais durante o ciclo menstrual impactam em todos os elementos de treinamento e desempenho, incluindo bem-estar geral, metabolismo, biomecânica e adaptação ao treinamento
Sobre o FitrWoman
O aplicativo FitrWoman fornece treinamento individualizado e sugestões nutricionais com base no ciclo menstrual de uma mulher, a fim de maximizar os benefícios do exercício. O aplicativo gratuito ajuda as mulheres a eliminarem o trabalho de adivinhação, tomar decisões inteligentes e trabalhar com o corpo, não lutar contra ele. Ele fornece acesso a insights adquiridos por dados de líderes do esporte, biomarcadores e especialistas em desempenho em duas décadas de trabalho da Orreco com os melhores atletas e sua pesquisa pioneira em torno das necessidades da atleta feminina.
O aplicativo FitrWoman App está disponível para download gratuito, nas plataformas IOS e Android. O aplicativo se integra perfeitamente ao perfil de uma pessoa no Strava, para adicionar dados de exercícios e atividades automaticamente para serem visualizados junto com o ciclo de hormônios, a orientação nutricional e os conselhos de treinamento.
Sobre o Strava
O Strava é a rede social para atletas. Considerado a principal plataforma de tecnologia para fitness, os apps para dispositivos móveis e o website do Strava conectam milhões de pessoas que praticam esportes todos os dias. Todos os atletas têm um lugar no Strava, não importa onde vivam, que esporte amem ou que tipo de dispositivo usem. Una-se você também à nossa comunidade visitando strava.com.
Nossos números preferidos:
  • Mais de 39 milhões atletas Strava carregam atividades em 195 países – no Brasil são 5 milhões de usuários
  • 20 atividades carregadas a cada segundo
  • Mais de 300 celulares e dispositivos GPS compatíveis
  • Mais de 165 funcionários, a maioria em San Francisco (EUA), mas também nos escritórios de Denver (EUA), Hannover (ALE) e Bristol (UK)
  • Mais de 1.100 atletas profissionais estão no Strava
  • 1 milhão atletas entram para o Strava a cada 30 dias
  • 3,6 bilhões de kudos dados entre os atletas no ano passado
  • Mais de 4 milhões de fotos compartilhadas no Strava por semana
  • R$ 15,90 por mês ou R$ 119,90 por ano para tirar o máximo proveito do seu esporte com os 3 Pacotes Summit
  • Mais de 130 cidades em que as viagens cotidianas ao trabalho ficaram mais fáceis graças ao Strava Metro

Tatuador brasileiro especializado em realismo e no estilo preto e cinza aprimora técnicas nos Estados Unidos


Desenhos, arte, grafite, música, skate e um apreço por cultura underground como um todo. A infância de Leo Favarin (www.leofavaraink.com) é semelhante à de muitos tatuadores por aí, com uma exceção marcante: o seu primeiro contato com esse universo foi horrível, com uma marca que carrega até hoje em sua pele e o relembra, todos os dias, de que tem de se aperfeiçoar cada vez mais para entregar desenhos que tragam felicidade às pessoas. Cuidadoso e dedicado nos traços firmes, ele passa uma temporada nos Estados Unidos para conhecer o mercado local, aprimorar técnicas e aumentar o peso do nome.
A iniciação ao mundo da tatuagem começou aos 15 anos, quando decidiu fazer a primeira com um conhecido de seu bairro: um palhaço na panturrilha. E o resultado foi péssimo. “Eu estava super empolgado, não senti dor nenhuma e quando olhei como ficou, foi só decepção. Decidi que queria cair fora daquele mundo” conta Leo.
P2ARA DIVULGAR ESSA - leo1Enquanto ele começava uma carreira como técnico em eletrônica em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, seu irmão mais novo, Darte, seguiu na tatuagem. Primeiro, o caçula foi responsável por consertar o palhaço. Em seguida, foi inspiração para largar o emprego formal em 2008, aos 22 anos, e se tornar aprendiz do seu irmão e do tatuador Batata no estúdio Batattoo.
Depois, começou a especializar-se em tatuagens realistas em preto e cinza – estilo que usa apenas tons e degradês de preto. “Mas isso não significa que eu fique preso dentro de caixinhas. Pelo contrário, procuro uma liberdade para achar a abordagem que mais encaixa na ideia do cliente e que vai deixá-lo feliz”, explica.
Após a primeira experiência, Leo passou a trabalhar com Enio Conte e Esther, organizadores da Tattoo Week, uma das maiores convenções do mundo. “Em paralelo, eu fazia cursos de arte e pintura com artistas como Bruno Paiva, André Rodrigues, Paulo Frade e Victor Otaviano”, fala ele. Finalmente, em 2013, abriu seu estúdio próprio, o Favarink, junto com a esposa Ranna, especializada em permanent make-up.
“Nós conseguimos muito destaque em São Caetano, mas começamos a sentir necessidade de expandir os horizontes e conhecer dinâmicas de trabalho diferentes no exterior”, conta. Decidiram dar uma pausa no negócio e sair em turnê. Primeiro, em 2016, veio a viagem pela Ásia, quando o casal passou por Tailândia, Indonésia, Singapura e Malásia. Depois uma perna na Holanda. E agora é a vez da América do Norte.
Embarcaram para os Estados Unidos, onde foram a convenções em Las Vegas, Los Angeles, São Francisco, San Diego, Big Bear Lake e Atlanta. Além do networking e da oportunidade de se integrar na cena americana de tatuagem, ele descobriu novas técnicas e abordagens para enriquecer seu trabalho.
O objetivo final é um só: deixar os clientes felizes. “Tanto faz se é um desenho pequenininho ou algo grande e complexo, todo dia que eu sento para tatuar, encaro aquilo como o momento mais importante da minha carreira”, diz Leo. “É uma marca que vai ficar para o resto da vida da pessoa, com o meu toque”.
Sobre Leo Favarin
Tatuador brasileiro especializado em técnicas realistas e no estilo preto e cinza. Após dez anos de carreira, cinco deles em um estúdio próprio, Leo Favarin roda o mundo para conhecer novas técnicas e entender melhor sobre arte e tatuagens em países como Tailândia, Indonésia, Holanda e Estados Unidos. www.leofavarink.com.

O futuro do trabalho não será guiado pela escolha de uma carreira, mas de várias delas


Por Paulo Exel

 

O antigo roteiro pré-definido para a maioria das carreiras, onde escolhemos uma área de atuação, fazemos faculdade, estágio, entramos em uma empresa e crescemos até ocupar o cargo mais alto da hierarquia, em um futuro próximo, estará ultrapassado. Hoje, vivemos cada vez mais o contexto de multicarreiras, ou seja, a possibilidade de um profissional desenvolver mais de uma profissão dentro de sua área de atuação ou mesmo diversificando os mercados.

O conceito de multicarreira, embora não seja novo, surge dentro de um cenário onde profissionais baseiam suas profissões em suas habilidades e características pessoais, e não necessariamente fundamentado em suas áreas de estudo ou conhecimento técnico. A ideia é construir e desenvolver a vida profissional com alternativas adjacentes àquela que é, ou ao menos foi acostumada a ser vista como, a função principal.  O fato é que impulsionado pelo avanço da tecnologia, pelas rápidas transformações no mundo e também pelo aumento da expectativa de vida e longevidade, o profissional do futuro vai construir a carreira de uma maneira completamente diferente da que fomos acostumados a ver décadas atrás.

Em certo nível, isso já acontece. É possível observarmos alguns profissionais explorando suas multipotencialidades e encontrando novas ramificações para sua atuação. Um bom exemplo são os professores universitários, que na maioria dos casos constroem a carreira acadêmica e atuam em paralelo no mercado corporativo. Mas, apesar dessa mudança já ser percebida, temos alguns indícios de que essa tendência vai se cristalizar no futuro e aterrissar em todas as profissões, exigindo que todos nós exploremos nossas diversas potencialidade e, porque não, multicarreiras.

Para aqueles que desejam sair da caixinha, romper com a carreira linear e aproveitar as oportunidades de terem mais de uma profissão, o mais importante é descontruir o mindset industrial, que tem começo, meio e fim ou ainda quebrar o modelo de carreira tradicional ao qual fomos apresentados. O conceito de multicarreira abraça as habilidades e skills adquiridas ao longo de toda a vida. É um novo paradigma onde as habilidades técnicas e comportamentais, características de personalidade e mesmo as experiências, são percebidas como potencialidades para a vida profissional. Muitas vezes, as combinações mais inusitadas podem levar a pessoa para áreas diversas e absolutamente fora da sua linha tradicional de atuação.

A maneira mais simples de descobrir suas multipotencialidades é perceber de que forma as habilidades que você tem na sua carreira formal estão sendo demandas em outros mercados.

 Como tudo que envolve carreira, essa observação exige uma estratégia e um planejamento feito com base na pergunta: o que eu desejo para minha vida profissional? Se no modelo tradicional a resposta seria chegar à um cargo executivo, nesse novo contexto, a resposta pode estar ligada a projetos que você tem vontade de realizar, áreas que despertam curiosidade e entusiasmos, cargos que desafiam sua superação, entre outros exemplos.

Investir no desenvolvimento de soft skills é algo personalizado e que não deve ser feito apenas por pressão externa. É claro que o profissional pode levar em consideração as demandas mais latentes do mercado, mas o mais importante é investir em potencialidades internas e em desenvolver skills ligadas ao que ele deseja como sendo o próximo passo da carreira. Por exemplo, em Tecnologia da Informação existe uma demanda latente por profissionais que tenham conhecimento técnico e habilidade de liderança, mas só vale apena investir em desenvolver essa habilidade se a pessoa deseja tornar-se líder.

Existe um questionamento de se os ambientes formais de trabalho são o suficiente para adquirir bagagem e conhecimentos diversos para a construção da multicarreira. Na minha opinião, todas as experiências adquiridas são válidas para desenvolver as multipotencialidades dos profissionais. Mas, sem dúvida, os ambientes de trabalho são um dos locais mais poderosos para se desenvolver profissionalmente.

Da mesma forma que um consultor financeiro nos incentiva a diversificar a nossa carteira de investimentos, o profissional de recrutamento diria que o futuro será daqueles que conseguirem diversificar seu leque de habilidades e possibilidades, pois isso fará com que os profissionais potencializem sua empregabilidade no futuro. O autoconhecimento e a fuga da zona de conforto, nesse sentido, serão imprescindíveis, pois ao experimentar novas oportunidades as pessoas saberão cada vez mais o que as preenche e como se manterem em constante desenvolvimento e crescimento.

A tecnologia é uma área que poderá explorar esse conceito de multicarreira de maneira muito ampla uma vez que no futuro, ela estará inserida e em evidência em absolutamente todas as esferas sociais e de trabalho. Mas, independentemente da sua área de atuação, ou da disposição para construir multicarreiras, uma habilidade indispensável para os dias de hoje é a resiliência atrelada a adaptação de mudanças. Outra habilidade que será muito demandada no futuro será a inteligência emocional, tal skill será fundamental para enfrentar cenários incertos de problemas que ainda não sabemos que existirão.

—-

Paulo Exel é diretor de operação da Yoctoo, formado em Administração de Empresas, possui MBA executivo em Gestão de Negócios e tem certificação em coaching. Exel tem mais de 10 anos de experiência no recrutamento especializado nas áreas de Tecnologia, Digital e Vendas.

Casamento: Presente dos padrinhos vai além do valor financeiro


O O convite para testemunhar a união de um casal querido como padrinho ou madrinha é um privilégio, embora não seja uma tarefa barata – sobretudo, considerando o presente. Há quem siga a tradição de contribuir com itens de valor mais elevado, mas Mari Dedivitis, assessora de casamento e parceira do iCasei (www.icasei.com.br), esclarece que a presença, participação e apoio nos preparativos do grande dia são mais importantes, e diz o que levar em consideração na hora de programar os gastos e as opções de mimos.
Os noivos se preocupam com inúmeros detalhes para fazer com que o casamento seja especial para todos, e, nesse período, a ajuda dos padrinhos é valiosa, tanto para escolher fornecedores e organizar eventos como chá bar ou a viagem de despedida de solteiro, como acompanhar nas provas de vestido e até mesmo ser um ombro amigo nos momentos de nervosismo. “Fala-se muito sobre dinheiro, mas a amizade e o tempo investido nesses preparativos carregam um grande valor sentimental”, diz Mari.
Há de se levar em consideração, também, os gastos com o look e o dia no salão de beleza, já que os amigos têm que estar à altura da elegância dos noivos. A assessora sinaliza que exigências como a mesma cor de vestido para as madrinhas ou que todas se arrumem junto à noiva são fatores limitantes e podem influenciar no valor da contribuição. “Se realmente o desejo é fazer dessa forma, melhor que seja dado e não imposto”, aconselha.
Tudo depende das possibilidades de cada um. Nada impede que seja feita uma generosa oferta para o casal, mas é importante respeitar as limitações financeiras e ter claro que não é uma obrigação. “A tecnologia tornou-se uma grande aliada. Hoje em dia é possível acessar a lista de presentes virtual e analisar – sem constrangimentos – o que é acessível ao orçamento, seja uma geladeira ou um jogo de copos. E para os noivos também é vantajoso, porque facilita a compra ou o resgate dos valores”, conta Mari. Mais do que o poder aquisitivo, essas pessoas são escolhidas a dedo pelo carinho e proximidade.
Outra sugestão é que todos se reúnam para fazer uma surpresa ao custear metade da lua de mel, comprar um item personalizado para o novo lar ou montar uma força-tarefa para criar alguns dos itens da festa. Essas atividades são maneiras criativas de presentear e também oportunidades para o grupo estreitar os laços.
Nesse momento tão especial na vida do casal, é primordial que acima de um mimo valoroso, os envolvidos tenham o pensamento de união e comprometimento com a celebração para a qual foram convidados como testemunhas.

tabuna: homenagem a Zelia Lessa no Dia da Mulher


O Colégio Ação Fraternal de Itabuna comemorou o Dia Internacional da Mulher com o espetáculo “Zelia Lessa – A música em uma vida”. A apresentação, coordenada pela professora Efigênia Oliveira (autora de uma biografia da musicista), teve  artes e textos. Sempre querida, a maestrina é um dos símbolos  da mulher itabunense.

Toda a renda do evento, que aconteceu nesta sexta-feira, dia 8 de março, a partir das 9 horas, foi  revertida ao Abrigo Bezerra de Menezes e Abrigo Dr. Balduino Azevedo.

Cursos em promoção em escola profissionalizante de Ilhéus


O Instituto Mix de Profissões, franquia de Ilhéus, está com desconto de 50 por cento em todos os cursos. A promoção vai até o fechamento de turmas.  Não perca a oportunidade de transformar seu sonho em realidade!

Entre os mais de 70 cursos que o Mix oferece, estão: gastronomia, confeitaria, padeiro, maquiagem, manicure e pedicure; designer de sobrancelha, cabeleireiro, barbeiro, massagem profissional, auxiliar de veterinário e pet shop; instalação e manutenção de ar-condicionado.

Endereço do Mix em Ilhéus: Av. 2 de Julho, próximo ao Bataclan. Contatos: 3231.3894 ZAP 99128.7156/98800.3897.

FICC promove mais uma edição do espetáculo a “Paixão de Cristo”


O espetáculo teatral a “Paixão de Cristo”, um dos eventos religiosos promovidos pela Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), já tem data marcada para acontecer. Com previsão para o dia 19 de abril, a encenação que revive a vida e morte de Jesus Cristo, conta com a coordenação do diretor de Turismo e produtor cultural, Ari Rodrigues, e direção geral, Marquinhos Nô.

Uma reunião entre a coordenação do espetáculo e elenco, realizada na última segunda-feira (11), no Teatro Zélia Lessa, teve como objetivo debater diversos assuntos em torno do evento, que este ano, terá algumas mudanças, segundo o presidente da FICC, Daniel Leão. Ele revelou que “por conta da interdição do Estádio Luiz Viana Filho”, o espetáculo foi transferido para a praça Camacan, centro de Itabuna.

O atual diretor de Turismo da FICC, Ari Rodrigues, ressaltou que a montagem promete trazer diversas novidades. “Toda encenação acontecerá no centro da praça Camacan, entretanto, teremos uma novidade, que ainda não podemos contar”, informou, enfatizando que será um grandioso evento e que o público se surpreenderá.

Diretor geral do espetáculo, Marquinhos Nô, avaliou o empenho e a entrega artística dos participantes como ponto positivo para o sucesso contínuo do evento. Nô observou, também, “que apesar da história já ser conhecida do público, a cada edição é preciso inovar.”

Cerca de 70 atores participarão da encenação, dentre eles, profissionais de Itabuna, Itapé, Itajuípe, Buerarema, Camacan, além dos alunos do curso de teatro da instituição. A cenografia do espetáculo está sob a responsabilidade do artista plástico, Diovani Tavares; produção executiva e assistência de direção, Eva Lima; texto e figurino, Marquinhos Nô.

 

Itabuna: OAB inaugura sala na Delegacia de Atendimento à Mulher


A OAB Subseção de Itabuna inova e cria a primeira sala da OAB em uma delegacia especializada no atendimento à mulher – DEAM – no país. Através da iniciativa da presidente da Comissão da Mulher da OAB, Dra. Andréa Peixoto, a Subseção de Itabuna ganha notoriedade e projeção pelo ineditismo na defesa da mulher.

A sala da OAB Dra. Graça Torres foi inaugurada nesta quarta, 13, na DEAM de Itabuna e contou com grande participação de autoridades do judiciário, do legislativo, da Ronda Maria da Penha, dos clubes de serviços, da sociedade em geral e da advocacia sul baiana.

O cerimonial da solenidade foi comandado pela Dra. Thailane Gabriel, que emocionou a todos quando relatou sua experiência profissional no escritório da homenageada Dra. Graça Torres, com quem trabalhou por anos e externou sua admiração aos familiares da homenageada presentes ao evento.

A Dra. Andréa Peixoto falou em nome de todos os membros da comissão a qual preside e fez agradecimentos emocionados a todos os presentes e em especial a parceria estabelecida com as delegadas daquela unidade. A delegada Dra. Ivete Albano falou em nome da Polícia Civil e das colegas da DEAM, disse de sua alegria em realizar essa parceria com a OAB e poder dar mais garantias e reforço humano no atendimento daquelas que procuram a instituição.

O presidente da Subseção da OAB, Dr. Edmilton Carneiro, fez uma leitura emocionada da importância da mulher na vida dos homens e do desejo de poder de alguma forma conter a violência que assola nossa sociedade e em especial a violência contra as mulheres: “É inadmissível em pleno século XXI assistirmos essa onda de violência com números tão estarrecedores como esses que nos são apresentados diariamente. Nosso papel enquanto instituição é participar ativamente na luta contra toda e qualquer supressão de direitos e liberdade do cidadão. E hoje estamos avançando muito nessa direção com esta sala e, por ser a primeira do Brasil, irá, certamente, multiplicar esse apoio tão necessário pelo país afora… parabéns mulheres guerreiras que se unem na defesa de seus direitos e lutam por uma sociedade melhor e mais justa”. Finalizou o presidente da OAB Subseção de Itabuna, Dr. Edmilton Carneiro.