Na expectativa da medalha 600


O isolamento social, necessário por conta da pandemia, impõe nova rotina a todo mundo. Além de ser um castigo principalmente para as pessoas que fazem da dinâmica diária o seu estilo de vida. É o caso de Maruse Dantas, aposentada do Banco do Brasil, política e atleta de primeira linha. Hoje, em uma rede social, ela confessou que está na expectativa do fim da pandemia para correr atrás da medalha de número 600. Maruse, não há dúvidas, tem talento para alcançar essa marca na Natação, esporte que levou a ex-bancária de Itabuna a competir em diversas regiões do país (veja no Diário Bahia)

Maruse Dantas e o cabeleireiro Henrique Sampaio

Como ela revelou, nesta quarta-feira de quarentena o dia foi para se divertir em família e cuidar da estética. Nesse caso, o salão De Luí foi o caminho preferido da atleta.

Livro expõe a vida e o trabalho de Josias Miguel


O look está um pouco estravagante, não há dúvidas. Mas se encaixou direitinho no perfil que o publicitário Josias Miguel planejou para uma noite em que ele foi o protagonista principal.

Aquele 10 de outubro de 2019 marcou a vida do publicitário com o número 70. E ele fez questão de criar um cenário com tudo o que lhe faz bem, para uma comemoração dupla.

Que tal muitas árvores plantadas, filhos, netos e um livro?  Tudo estava ali, com exceção das árvores, é claro.  E Josias gargalhou, brincou, virou menino, mas sem esquecer a sua condição de homem maduro, na medida certa para contar histórias.

São relatos, acomodados no papel pelo jornalista Walmir Rosário, muito bem escolhido para fazer nascer “Josias Miguel, 70 anos de história”.  No livro, o publicitário “tira a roupa”  para, sem nada esconder, exibir sua trajetória de vida, desde a adolescência.

Rebeldia e disposição de desafiar formaram um dueto que sempre estimulou Josias Miguel a ver a vida de todos os ângulos, em todas as cores. No vermelho, por exemplo, está a vocação política.

“Tenho política no sangue”, revelou o publicitário ao citar no livro, todos os caminhos que costuma seguir para conquistar votos. Muitas campanhas eleitorais no sul da Bahia, principalmente em Itabuna, tiveram a “mente marqueteira” de Josias Miguel.

Tudo está no livro, que inclui também a vida boêmia do publicitário, com destaque para seus amores. São conquistas, vale dizer, encerradas até agora por “uma morena faceira” de nome Sheila, casada com ele faz alguns anos.

Josias Miguel e Sheila

O casal, que, nas palavras o próprio Josias, “juntou os panos” com apenas 26 dias de namoro, mora atualmente em um sítio de Ilhéus, onde estão as árvores que faltaram na festa de aniversário e do lançamento do livro.


Para adquirir o livro, basta ligar para o próprio Josias. Ou enviar Zap para este número 999660048.

Uma presente volta ao passado


Maurício Duarte é do tipo que tira bom proveito do saudosismo. E assim, quase sempre, ele nos brinda no Facebook com fotos que são uma “pancada” na memória.

Maurício Duarte e Cacá Ferreira

Nos bons tempos em que o Itabuna “brigava” no Campeonato Baiano com um time profissional, lá pelos anos 80, Maurício Duarte foi chamado no Rio de Janeiro para nos brindar com o seu futebol.

Zagueiro respeitado, ele mostrou raça e talento no gramado. Fora das quatro linhas, seu amor pela cidade o fez um legítimo itabunense. Prova disso é que está por aqui até hoje.

Numa de suas últimas postagens no Facebook, o ex-jogador aparece ao lado de uma figura que é patrimônio do rádio regional. Falo de Cacá Ferreira, festejado apresentador.

Na foto, Cacá conversa com Maurício sobre futebol, em um programa de variedades que o comunicador apresentava na Rádio Jornal, na época.

Vinte e cinco anos depois, a foto, claro, envelheceu. Porém, Maurício e Cacá, hoje na Rádio Difusora, apenas ganharam mais experiência de vida.

E não só isso. Ganharam também tempo para exercitar ainda mais a “porção juventude” que ainda existe dentro deles.


Vai uma jaca aí?


Em quase todas as estações do ano, qualquer lugar de Itabuna e Ilhéus, no sul da Bahia, vira ponto de venda de jaca. Quem nunca comeu essa fruta, na verdade, não sabe o que está perdendo.

Fotos: revista Bellas.

Produzida principalmente em roças de cacau, a jaca tem um sabor doce, além de ser composta por fibras benéficas à saúde humana. Portanto, fique à vontade para se fartar dessa fruta, seja ela mole ou dura.

Especialistas em nutrição informam: a jaca possui minerais de tipos variados. Cálcio, que tanto nos faz bem, é um deles. Depois vêm: potássio, ferro, fósforo.

A jaca, minha gente, tem mesmo poder, pois é, ainda, fonte de vitaminas A, B, C. Assim, com esses nutrientes, fica mais fácil correr atrás, por exemplo, de uma pele mais saudável, mais bonita.

Quer saber mais sobre jaca? Clique AQUI.

Fruta colhida na fazenda da Família Farias, Jussari

Logo você, Léo Santana?


Não é exagero nenhum dizer que foi um fiasco a participação da Bahia no São João do Nordeste, programa apresentado nesta noite de sábado, 20, pela Globo.

Esse ponto negativo não foi novidade, pois estava na expectativa de centenas e milhares de pessoas. Afinal, Léo Santana já foi algum dia cantor de forró? Ou cantante, como dizem os espanhóis?

Quem conhece o repertório dele sabe que não. Léo Santana, e com muito mérito, é cantor de qualquer outra coisa, menos de forró. Péssima escolha, então, para um programa de tanta visibilidade como esse da Globo.

É como se Léo Santana valesse ouro em confronto com a qualidade de Zelito Miranda, para citar apenas um dos muitos forrozeiros baianos.

Até Bel, ex-Chiclete, caia bem o São João do Nordeste porque muitos rits de forró fazem parte do seu repertório musical.

Para finalizar, uma pergunta: de quem foi a escolha de Léo Santana? Se foi você, tem o meu perdão, desde que permaneça em casa, mesmo depois da quarentena.

Trajetória de um comunicador chamdado Vily Modesto


Por mais de cinco décadas, o rádio AM de Itabuna teve, em seus momentos de qualidade, o talento dele: Vily Modesto. A lembrança, agora, é em função do seu aniversário de 80 anos de nascimento, ocorrido no último dia 18 deste mês.

Mo próximo dia 5 de julho, outra data lembrará Vily Modesto. Só que de forma negativa, pois é o aniversário de dois anos de sua morte.  O radialista não resistiu a um infarto fulminante em sua casa, em Itabuna.

Mas, chega de falar de tristeza! Vamos falar do Vily que deixou como lição uma história com recheios maravilhosos de sonhos e alegria. Isso mesmo. No encontro com os amigos, ele dava preferência apenas a assuntos que “levantavam a bola de qualquer um”.

Eram assim também no rádio, principalmente nos programas de entretenimento, com os que apresentava nas manhãs da Rádio Jornal. Os ouvintes faziam a sintonia na certeza de que a palavra amor seria repetida dezenas de vezes ao longo do programa.

Amor não saia apenas da boca de Vily, mas também através de músicas românticas — as suas preferidas. Foi aí que nasceu o seu carinho pelo rei Roberto Carlos, de quem se considerava amigo tal a sua aproximação com o artista.

Na foto, amarelada pelo tempo, o rei Roberto Carlos e Vily Modesto

E assim foi a vida de Vily entre nós — um cara que adorava também eventos sociais. Atendia a todos os convites, seja como radialista, como jornalista de A Tarde, ou ainda como diretor de entidades ligadas ao comércio.

Chamou, Vily Modesto estava lá. Era o primeiro a chegar da mesma forma que era o primeiro a deixar o ambiente, pois tinha quase sempre um novo compromisso na agenda, geralmente muito bem alimentada e cuidada.

Vily ao lado da cantora Eliana Pittman, um dos maiores sucesso naquela época

A idade foi avançando, os problemas de saúde chegaram e Vily Modesto, optou então por viver seus últimos anos de vida recolhido em casa com assistência do filho Vily Júnior.

Cely Kokubun: felicidade em Ilhéus e no Japão


Ela está no Japão desde o ano passado. Deixou Ilhéus e atravessou o mundo por um motivo muito justo: unir a família. O marido estava lá, e ela, claro, também foi com os filhos.

Às vésperas do Dia dos Namorados, Cely Kokubun postou no Facebook uma imagem que representa, além da alegria, um estado de espírito inerente a quem faz da família um robusto esteio de sustentação.

Ah, Cely, quanta falta você nos faz! Esse é o sentimento de alunos e diretores do Instituto Mix, franquia de Ilhéus. Ali, ela sorriu, trocou ideia e transmitiu conhecimentos.

Através do talento de instrutora, Cely formou muita gente em Massoterapia. São  alunos que hoje, com algumas exceções, experimentam o sucesso no mercado de trabalho.

Agora no Japão, a professora Cely deve estar no mesmo caminho profissional que trilhou em Ilhéus. Só que com uma diferença: juntinho do marido, no maior love. Ou 愛, como diz o povo de lá.

Obras que vão ditar o ritmo de uma nova Ilhéus


Tudo caminha para que Ilhéus dê adeus em definitivo ao conceito negativo de cidade com trânsito complicado. Inicialmente, a construção de uma nova ponte para unir o Pontal ao centro da cidade. Depois, a duplicação de um trecho da BA-001, o que facilitará ainda mais o fluxo de veículos no local.

A ponte está pronta. Falta apenas o governo definir o dia para entregar a obra à comunidade. Ou seja, marcar o fim de um problema que há muitos anos tem agoniado os motoristas: engarrafamentos. Tal situação se agravava principalmente durante o Verão, quando a cidade costuma ficar cheia de turistas.

DUPLICAÇÃO

Foto: Diário Bahia

A duplicação da 001 compreende um trecho  que vai do hotel Opaba ao entroncamento da BA 251, ali no acesso ao bairro Nossa Senhora da Vitória, à direita da praia dos milionários. Ao todo, são 5 quilômetros e 400 metros de extensão.

A obra já começou, e o prazo de entrega é de seis meses. Pelo projeto, o governo do estado vai investir quase R$ 9 milhões para facilitar principalmente o acesso à nova ponte. Esse trecho em obras, inclusive, também não suportava mais o trânsito em dias de muito movimento.

Foto: Diário Bahia

PONTE

Na nova ponte, o investimento do governo do estado é de R$ 100 milhões. São recursos financeiros que, além de melhorar a vida dos motoristas, dará a Ilhéus um moderno cartão postal.

Trata-se da primeira ponte estaiada da Bahia. Além do mais, tem uma iluminação cênica que engrandece ainda mais o projeto, um verdadeiro exemplo de mobilidade urbana.

Fotos: José Nazal

Então, a ponte está pronta. A duplicação da rodovia já começou. Assim, a comunidade ilheense está próxima de usufruir de uma nova versão da cidade, que certamente entrará em novo ritmo.

A ponte fica Ilhéus
Ponte do Pontal

No Tarik, abre alas para o Carnaval Antecipado de Itabuna


Ó abre alas

Que eu quero passar

Ó abre alas
Que eu quero passar…

Quando fevereiro chegar, músicas como Ó Abre Alas, eternizada pela lendária Chiquinha Gonzaga, certamente vão mexer com o imaginário de quem for ao Bailinho Delux, no hotel Tarik, em Itabuna.

Mas apenas marchinhas farão parte da programação musical do evento? De forma alguma, responderá Betânia Macedo se alguém, por acaso, fizer tal pergunta a ela.

Duas atrações musicais, informa Betânia,  vão dar o tom da festa, com um repertório que, não há dúvidas, estará na expectativa de todos. E assim o bailinho de Carnaval fará a sua estréia com a sensação de quero mais.

A área externa do Tarik receberá decoração especial de forma a deixar os foliões no clima da festa. Haverá também uma praça de alimentação para que ninguém perca a oportunidade de restaurar as energias.

Quanto ao traje a ser usado na festa, Betânia Macedo diz que cai bem adereços de carnaval tipo máscaras, passadeiras, chapéus, muito brilho e purpurina para “entrar no clima”.

Betânia é do tipo de profissional de Marketing que está sempre criando coisas. E o bailinho, programado para o dia 6, véspera do Carnaval Antecipado de Itabuna, é a novidade do momento.

Caiu bem a farda do Exército Americano no itabunense Pedro Vily


A juventude de Pedro Vily reforça o Exército Americano

No peito, a paixão pelo Brasil e os Estados Unidos. No coração, bate a saudade de Itabuna, cidade onde nasceu, e o sentimento de amor à patente de Sargento do Exército Americano.

E assim segue a vida de Pedro Vily Reis Modesto, ou simplesmente Pedro, neto de Vily Modesto, jornalista que nos deixou em 2018, depois de décadas de sucesso na comunicação sul-baiana.

Portanto, o jovem Pedro, que passou com boas notas nos Colégios Sagrado e Galileu, nessas terras grapiúnas, é agora, aos 22 anos, um militar que sonha ainda mais alto: ser Médico de Combate, e já começou a se preparar para essa futura missão.

Seu primeiro treinamento, na Base de Fort Sill, em Oklahoma, o deixou bastante animado, pois descobriu que está no caminho certo. Amparado pelo otimismo da esposa Noah Cozenns , o novo militar segue firme em busca do sucesso na carreira que abraçou.

A formatura de Pedro Vily como Sargento do Exército Americano ocorreu no dia 6 deste mês de dezembro, mais ou menos três anos depois que ele aportou nos Estados Unidos, cheio de sonhos e com o inglês na ponta da língua. Afinal, dava aulas desse idioma em Itabuna, onde também deixou sua marca como Mestre Conselheiro do Capítulo Demolay 28 de Julho.

Avante, Pedro Vily! A farda do Exército Americano caiu bem em você.

Solenidade de formatura