Marcelo Ganem reúne convidados em Luau do Jequitibá


Marcelo Ganem

Sexta-feira, 13 de dezembro, noite de lua cheia, é uma data arrepiante no imaginário dos cinéfilos de plantão. No entanto, nesta noite que se aproxima, os arrepios serão de outra ordem: natureza, história, boa música, bom ambiente. Certamente, ingredientes perfeitos para os bons encontros. Localizado ao pé da Serra do Jequitibá, em Buerarema, o Aquarius Pesque receberá, a partir das 20 horas, show de Marcelo Ganem e convidados, em prol do Programa Germinar.

Como o nome sugere, a iniciativa é uma formação para indivíduos que buscam a transformação social em seu entorno. Naquela cidade, instituições como a Casa da Criança, o Instituto Macuco Jequitibá e a Loja Móveis São Jorge já foram atendidas por meio da consultoria desse projeto.

Inclusão e tecnologia

Os idealizadores deixam claro que o Germinar acredita na inclusão social e na fraternidade econômica. “Só assim, é possível atingir aqueles que mais precisam de emancipação, empoderamento”, argumentam sobre o programa, ganhador do Prêmio Tecnologia Social do Banco do Brasil, em 2014.

Nascida em Santa Luz, no sertão da Bahia, é uma formação ligada aos mais conceituados institutos sociais do planeta. Acontece hoje em todas as regiões do Brasil, na Argentina, no Chile e no México.

Além de Ganem, Claudia Ferreira, Lígia Callaz e Itassussi e banda presenteiam esta ação em um belo show. Toda a renda será revertida para o Programa Germinar, que abrirá nova turma no próximo ano. “Venha se encantar com a gente!”, convidam os artistas.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone/WhatsApp (73) 98123-0802.

Festival de Teatro do Interior da Bahia abre inscrições


Estão abertas as inscrições para a 4ª Festival de Teatro do Interior da Bahia. Companhias, produtoras, grupos ou artista independente, titular de um espetáculo teatral do interior, podem se inscrever por meio do formulário online no link

https://forms.gle/rGngDMUF3M3AJACX6 até o dia 30 de dezembro de 2019. As 12 montagens selecionadas serão divulgadas até o dia 15 de janeiro de 2020 nas redes sociais do festival e imprensa.

A partir daí, os 12 espetáculos irão integrar o Festival propriamente dito, que acontece em três cidades baianas entre os meses de fevereiro e março. A curadoria do evento será responsável por convidar mais duas montagens das cidades-sede do projeto para participar da programação, que inclui também mesas redondas, palestras e oficinas.

Cada montagem contemplada se apresentará duas vezes. As cinco melhores serão indicadas ao mais prestigiado prêmio do teatro baiano, o Prêmio Braskem de Teatro, na categoria Espetáculo do Interior da Bahia. Idealizada em 2015, junto com a primeira edição do Festival de Teatro do Interior, a categoria tem o objetivo de valorizar, reconhecer e premiar a produção teatral do estado, abrindo espaço para o surgimento de novos talentos.

4º Festival de Teatro do Interior da Bahia tem realização da Polo Cultural, marketing cultural da Caderno 2 Produções, patrocínio da Braskem e do Governo do Estado da Bahia por meio do Fazcultura. O edital da seleção para o Festival pode ser solicitado pelo email [email protected]

Sobre a Braskem

Os 8 mil Integrantes da Braskem se empenham todos os dias para melhorar a vida das pessoas por meio de soluções sustentáveis da química e do plástico, engajados na cadeia de valor para o fortalecimento da Economia Circular. Com 41 unidades industriais no Brasil, EUA, México e Alemanha e receita líquida de R$ 58 bilhões (US$ 15,8 milhões), a Braskem possui produção anual de mais de 20 milhões de toneladas de resinas plásticas e produtos químicos e exporta para Clientes em aproximadamente 100 países.

FAZCULTURA – Parceria entre a SecultBA e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.

Veja as primeiras imagens do cinema do shopping de Itabuna


Está ficando lindo! Aliás, está lindo, pois as obras praticamente já acabaram. Dentro dos próximos dias, portanto, Itabuna terá o seu cinema. A contagem repressiva para a inauguração foi lançada.

Ao Diário Bahia/revista Bellas, o empresário Neto Chaves, diretor do Shopping Jequitibá, informou que até o dia 19 deste mês tudo estará pronto. E, finalmente, o espaço de cultura e lazer estará à disposição da comunidade regional.

A implantação do cinema faz parte do projeto de ampliação do shopping itabunense, que, recentemente, passou por uma reforma completa. Recebeu, inclusive, novas lojas.

 

 

ESPETÁCULO “QUEBRA NOZES E OS QUATRO REINOS” NO TEATRO CASTRO ALVES


Em um momento de comemoração pelos 35 anos de atividade, a Etudes Escola de Ballet apresentou o espetáculo “Quebra Nozes e os Quatro Reinos”, na sala principal do Teatro Castro Alves, em Salvador, no último domingo (1º de dezembro). A apresentação, inspirada no clássico da Disney, ganhou uma leitura especial baseada na história do filme homônimo, lançado em 2018. Este ano, a escola convidada que também teve seus alunos participando do evento foi a Academia de Ballet da Bahia.

O espetáculo musical narrou a história de Clara, uma jovem independente, que perde a única chave mágica capaz de abrir um presente de valor incalculável dado por seu padrinho. Safa na solução de problemas, ela decide então iniciar uma jornada de resgate que a leva pelo Reino dos Doces, o Reino das Neves, o Reino das Flores e o sinistro Quarto Reino. Tudo isso, com encanto do estilo de dança mais sofisticado do mundo, mesclando modalidades que atravessam gerações.

A Etudes Escola de Ballet

A inspiração para a identidade da Etudes Escola de Ballet veio da palavra francesa “Étude”, que significa estudo. Muitas nomenclaturas dos movimentos do Ballet são de origem francesa, que traz naturalmente um conceito de sofisticação aliado a atividade da escola. A escola tem sua sede localizada no bairro da Graça e filial no Horto Florestal.

A gestão da escola encontra-se respaldada na expertise artística e o longo envolvimento com a arte da bailarina Suzana Rusch, sua fundadora, em conjunto com suas filhas TissianaErica e Priscila, que hoje estão à frente do empreendimento. A Etudes chega aos seus 35 anos desenvolvendo um trabalho sólido, fiel a sua história, sempre inovando e com uma visão atenta aos novos cenários do futuro.

 

Itabuna: Rota sedia última fase do concurso de redação Lápis na Mão


Ângela Muniz, Luana Barbosa, Roger Sarmento e Thayana Fontes, da TV Santa Cruz, Jaciara Santos e Tony Carvalho, da Rota, e o cinegrafista Marcelino Silva, da TV Santa Cruz

A última fase do concurso de redação Lápis na Mão, promovido pela TV Santa Cruz, foi realizada nesta segunda-feira, 18 de novembro, na Sala de Treinamento da Rota Transportes, uma das empresas patrocinadoras do projeto, em Itabuna. Cerca de 30 estudantes do ensino fundamental, ensino médio e do EJA, de vários municípios da região, classificados na primeira fase, fizeram a redação final válida para a premiação dos melhores trabalhos, que acontecerá no próximo dia 27, no auditório do centro de arte e cultura da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Os estudantes foram recepcionados pela coordenadora de Recursos Humanos da Rota, Jaciara Santos, as psicólogas Ivana Almeida, Luísa Alves e Stéfane Pereira, e a supervisora de Marketing da TV Santa Cruz, Luana Barbosa, Thayana Fontes, Ângela Muniz, o repórter Roger Sarmento e Marcelino Silva. Em sua décima edição, o Projeto Lápis na Mão tem como objetivo incentivar o hábito da leitura, da escrita e do exercício da criatividade (desenho), entre alunos de escolas públicas e privadas das regiões Sul e Extremo Sul da Bahia. O concurso de redação é voltado para o Ensino Fundamental II, Ensino Médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos) e o de desenho para estudantes do Ensino Infantil e Fundamental I. Este ano, o tema abordado foi “Leituras e Mídias: Portais para a paz”.

A Rota Transportes, que integra o Grupo Brasileiro, é a única empresa que garante patrocínio ao projeto desde a primeira edição em 2009. Segundo a diretora de Desenvolvimento da Rota, Elaine Carletto, a proposta de incentivo à leitura e à escrita de forma integrada, no alcance de toda a região, fundamenta o apoio da empresa que acredita na educação como suporte para o desenvolvimento da sociedade.

Além disso, a empresa fornece todo o apoio logístico na área de transporte em todas as fases do projeto, com o acompanhamento do assistente de Marketing do Grupo Brasileiro, Antonio Carvalho. Na programação deste ano, por exemplo, o subprojeto A Leitura vai à Praça foi realizado, durante o mês de outubro, nas cidades de Camacan, Buerarema, Itacaré, Itabuna, Uruçuca, Ubaitaba e Ilhéus.

Finalistas – A redação final foi realizada sob a supervisão da professora Marizete Silva Souza, do Departamento de Letras e Artes da UESC, instituição parceira do evento, que apresentou o tema surpresa “Likes e deslikes, caminhos para a paz”, baseado na temática central. Antes do início da prova, como incentivo aos participantes, a professora disse “A gente está construindo uma trajetória, esse é o primeiro passo da nossa caminhada, que não pode parar por aqui. Se você hoje chegou até este momento, você é promissor, não só para o prêmio, mas para continuar sendo um excelente leitor e para se tornar com o exercício da escrita cotidiana um excelente escritor, de narrativas, de jornalismo, do que quer que seja, mas um excelente tradutor dessa experiência que existe em sua casa e em sua comunidade.”

Participaram os classificados na categoria Ensino Fundamental II, das escolas Curumin, Galileu, Jorge Amado e Escola Municipal Margarida Pereira; de Itabuna; Colégio Estadual Moysés Bohana e Escola Municipal de Castelo Novo, de Ilhéus; Centro de Ensino Ana Viana, de Camacã; e Centro Educacional Municipal de Piragi, de Itamaraju.

Na categoria Ensino Médio, os classificados nos colégios Galileu, Batista, Geórgia, CETEP do Litoral Sul II e Centro Integrado Oscar Marinho Falcão, de Itabuna; Colégio Estadual Moysés Bohana, IFBa e Sesi, de Ilhéus; e Centro de Ensino Ana Viana, de Camacã. E na categoria EJA, aluno do CETEP do Litoral Sul II, Colégio Estadual e Colégio Estadual Félix Mendonça, de Itabuna; escolas Municipal Osvaldo Almeida e Tancredo Neves, de Itamaraju.

Os alunos finalistas acompanhados por seus pais, professores, coordenadores e diretores das instituições de ensino participaram de um café da manhã oferecido pela Rota e, em seguida, receberam de brinde da empresa uma camiseta com o slogan “Paz e [email protected]ção – conectados no caminho da transformação” para acesso ao local da prova.

A coordenadora pedagógica do Colégio Estadual Moisés Bohana, Andréa Ribeiro, de Ilhéus, vê o projeto como um instrumento importante em relação ao fomento à leitura e à produção escrita no contexto de influência das tecnologias atuais. Ela informou que o Lápis na Mão integra o projeto pedagógico da escola e que os alunos que não chegaram à final participam de um evento interno que proporciona outras premiações.

A diretora do Colégio Estadual Félix Mendonça, Rosemeire Guerra, de Itabuna, afirmou que sua escola participa de todas as edições do projeto. “O Lápis na Mão é um instrumento a mais no reforço à leitura e permite que o aluno se posicione de forma crítica e criativa. Nós o incluímos no projeto pedagógico da escola por entendermos que a leitura não pertence apenas à área de Linguagens, já que ela fundamenta todas as áreas do conhecimento”, acrescentou.

Anselmo Luís Silva de Góes, pai de Felipe, 12 anos, do Colégio Curumim, considera que o projeto é de grande valor para o conhecimento e a cultura dos jovens, além de ser muito gratificante “ver nossos filhos participando de um evento como esse e saber que o conhecimento deles está sendo enriquecido”.

Para Juelene Pereira da Silva, mãe de Arthur, 13 anos, da Escola Municipal de Castelo Novo, na zona rural de Ilhéus, em primeiro lugar está o incentivo, “porque a gente do campo fica lá escondida e quando aparece esse concurso desperta o jovem rural. Geralmente, esses eventos atingem mais a cidade. É necessário contemplar a população do campo, que precisa muito dessa integração”, salientou. A seguir, as fotos do evento.

2ª Feira Popular do livro em Itabuna é adiada e terá início dia 7 de novembro


Foi adiada para o dia 7 de novembro, a abertura da 2ª Feira Popular do Livro em Itabuna. O projeto de incentivo à cultura, ao conhecimento e à leitura reúne mais de 3 mil obras catalogadas, e os exemplares serão vendidos a população por valores acessíveis, com descontos que variam de 50% a 80% com relação ao preço de mercado.

O projeto, que conta com apoio da Prefeitura Municipal de Itabuna, por meio da Diretoria de Turismo da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc), ficará até o dia 30 de novembro, na Praça Camacan – Centro, das 10h às 21h.

Segundo o diretor de Turismo da Ficc, Ari Rodrigues, a Feira Popular do Livro “é uma oportunidade para a população do município adquirir grandes obras e se aproximar da cultura literária”, afirmou. Ele revelou, ainda, que o período do evento poderá ser prorrogado, “como no caso do município de Porto Seguro”, ressaltou. Em virtude do sucesso do projeto na cidade do extremo sul, que implicou na data inicial da Feira em Itabuna.

Os visitantes encontrarão obras da literatura brasileira e estrangeira, biografias, títulos de filosofia e psicologia, história, autoajuda, empreendedorismo, além de livros voltados para estudantes dos cursos de inglês e desenho, de culinária, histórias em quadrinhos e os mais variados best sellers.

Veja a programação do festival de dança nacional de Ilhéus e Itacaré


Desta segunda-feira (4) até domingo (10), o Sul da Bahia recebe o 8º Festival de Dança Itacaré, um dos mais importantes encontros da dança contemporânea brasileira. A programação é gratuita e estará disponível em vários espaços de Ilhéus e Itacaré.

São oficinas, espetáculos, palestras e lançamento de livro com a participação de artistas e grupos da Bahia, São Paulo, Ceará, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Maranhão, Piauí, Pernambuco, Paraná, Alagoas, Amazonas, Goiás e Rio Grande do Norte.

As atividades de Ilhéus acontecem na Tenda Teatro Popular, Academia de Letras e Arrisca Cia de Dança. Em Itacaré, serão realizadas no Centro Cultural Porto de Trás, Estúdio Armondes, Casa Fluir, Passarela da Vila, Praia do Resende.

O Festival de Dança Itacaré tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, apoio institucional da Casa Ver Arte, parceira da Funarte e realização Comunidade Tia Marita. Conta também com apoio de empresas, imprensa e parceiros institucionais locais.

Maiores informações podem ser obtidas pelo site https://festivaldedancaitacare.com.br/ ou pelo e-mail [email protected] .

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

04 e 05/11 (segunda e terça)

Oficina “Crítica-Etc e Outras Possibilidade de Ler/Ver uma Obra” – Carlinhos Santos (Caxias do Sul/RS). Academia de Letras de Ilhéus – – 09h às 13 h

Oficina “Danças Populares, Brinquedo de Gente Grande: Culturas Populares, Indígenas e Afro-brasileiras nos caminhos da Dança – Educação” – Denny Neves (Salvador/BA). Arrisca Cia de Dança – 14h às 18h

Vídeo-dança “Orixá Cafuzo e Outras Divind/A\Des” – Cia. Balé Baião (Itapioca/CE). Tenda Teatro Popular de Ilhéus  – 16h às 18h30

04/11 (segunda)

Espetáculo “Mistura Fina”  Augusto Soledade Brazzdance (Salvador/BA). Tenda Teatro Popular de Ilhéus – 19h

Espetáculo “Gente de Lá” – Wellington Gadelha/Plataforma Afrontamento (Fortaleza/CE). Tenda Teatro Popular de Ilhéus – 20h

05/11 (terça)

Espetáculo “Coisa é Tudo!” – Hibridus Dança (Ipatinga/MG). Tenda Teatro Popular de Ilhéus – 19h

Espetáculo “Líquidxs” – Coletiva Rachas (Ilhéus/BA). Tenda Teatro Popular de Ilhéus – 20h

06 e 07/11 (quarta e quinta)

Oficina “Comunicação em Dança Contemporânea com Luiz De Abreu: Práticas e Experiências Profissionais”. Casa Fluir – 09h às 13h

06 a 10/11 (quarta)

Vídeo-dança “Orixá Cafuzo e Outras Divind/A\Des” – Cia. Balé Baião (Itapioca/CE). Centro Cultural Porto de Trás -16h às 18h30

06/11 (quarta)

Espetáculo “Ajeum” – Dijalma Moura (SãoPaulo/SP). Centro Cultural Porto de Trás – 19h

Espetáculo “Gente de Lá” – Wellington Gadelha/Plataforma Afrontamento (Fortaleza/CE). Centro Cultural Porto de Trás – 20h

07 a 09/11 (quinta a sábado)

Oficina “Danças Populares, Brinquedo de Gente Grande: Cultuas Populares, Indígenas e Afro-brasileiras nos caminhos da Dança – Educação” – Denny Neves (Salvador/BA). Quadra da Pituba – 08h às 12h

07/11 (quinta)

Palestra dançada “Reinvenção do Corpo Ancestral na Cena Contemporânea” – Gerson Moreno (Itapioca/CE). Estúdio Armondes – 15h às 17h

Espetáculo “Coisa é Tudo!” – Hibridus Dança (Ipatinga/MG). Centro Cultural Porto de Trás – 19h

Espetáculo “A Coreógrafa” – Clarissa Sacchelli (São Paulo/SP). Centro Cultural Porto de Trás – 20h

08 e 09/11 (sexta e sábado)

Oficina “Fala-Corpo: O que quer e o que Pode essa tal Dramaturgia? –  Thereza Rocha. Estúdio Armondes – 14h30 às 17h30

08/11 (sexta)

Oficina Afro-Fusão – Augusto Soledade (Salvador/BA). Praia do Resende –

10h às 12h

Espetáculo “Aramimo” – CCP – Cia. do Curso Profissional da Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Salvador/BA). Centro Cultural Porto de Trás – 19h

Espetáculo “Apoena – Aquele que Vê Longe” – Francis Baiardi (Manaus/AM). Centro Cultural Porto de Trás – 20h

Espetáculo “Variação para Seis Temas” – Ricardo Alvarenga (Uberlândia/MG). Centro Cultural Porto de Trás – 20h40

09/11 (sábado)

Palestra “O Que é Dança Contemporânea?: Uma Aprendizagem e um Livro de Prazeres” – Thereza Rocha. Estúdio Armondes – 16h às 18h

Espetáculo “Sabe de Nada Inocente” – CCP – Cia. do Curso Profissional da Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Salvador/BA). Passarela da Vila – 17h30

Espetáculo “Vamos Pra Costa?” – Núcleo da Tribo (Itacaré/BA). Centro Cultural Porto de Trás – 19h

Espetáculo “Kilezuuummmm” – Edu O., João Rafael Neto e Thiago Cohen (Salvador/BA). Centro Cultural Porto de Trás – 20h

10/11 (domingo)

Espetáculo “Estio”- Nii Colaboratório (Salvador/BA). Centro Cultural Porto de Trás – 19h

Espetáculo “Bola de Fogo” – Fábio Osório Monteiro (Salvador/BA). Centro Cultural Porto de Trás – 19h

 

Ilhéus: Teodorico Majestade se apresentará pela última vez


Em cartaz há quase 13 anos – desde 26 de novembro de 2006 –, o espetáculo “Teodorico Majestade: as últimas horas de um prefeito” fará sua derradeira apresentação no próximo sábado, dia 28 de setembro, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus. Durante sua jornada de apresentações, passou por diversas cidades do país e chegou à Europa. Sua última encenação marca o final de um ciclo que ressaltou o papel político da arte.

A montagem surgiu como um posicionamento do Teatro Popular de Ilhéus diante dos escândalos ocorridos na cidade, e sua repercussão contribuiu para a mobilização da população ilheense contra o então prefeito Valderico Reis, tendo histórica importância na cassação de seu mandato em 2007. O espetáculo é uma sátira política em formato de cordel sobre um prefeito prestes a perder seu mandato por conta de denúncias que vieram a público, construindo um protesto bem-humorado que mostra o lado ridículo dos bastidores da política corrupta e que, ao mesmo tempo, conclama o povo a exercer seus direitos de cidadão.

Inspirada na literatura de cordel, na xilogravura e no cancioneiro nordestino, a peça narra o drama do prefeito da fictícia Ilha Bela, acuado em seu gabinete, cercado pela população revoltada com suas trapaças. Boca-suja e beberrão, o alcaide se vê abandonado pelos seus comparsas e, num ato de desespero para se manter no poder, tenta negociar com o povo, que pede sua cassação imediata. O espetáculo tem texto e direção de Romualdo Lisboa e conta com Ely Izidro no papel do prefeito “Teodorico Majestade”; Takaro Vítor como “Malote”; Tânia Barbosa como “Maria Antônia das Armas; Aldenor Garcia como “Gersinaldo Quina”; e Cabeça Isidoro como o “Cantador”. Além disso, com novos elementos de cena, a obra agora conta também com um quarteto musical que acompanha o espetáculo ao vivo.

A comédia recebeu duas indicações ao Prêmio Braskem de Teatro em 2008, e já rodou diversas cidades do interior da Bahia e na capital do estado, além de ter se apresentado em palcos do Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Paraná, Alagoas e Pernambuco. Participou, a convite da Cooperativa Paulista de Teatro, da VI Mostra Latino-Americana de Teatro de Grupo em 2011. Além disso, ainda participou de festivais como o Festival de Curitiba (2012), Festival Recife do Teatro Nacional (2016), Festival de Teatro da Caatinga (2018) e em diversas edições do Filte Bahia.

Adentrando a área do audiovisual, em 2011 o espetáculo se tornou tema de documentário que, dirigido por Elson Rosário, foi selecionado para um edital da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. A relevância dessa montagem chegou ainda ao território acadêmico, se tornando objeto de uma dissertação de mestrado apresentada em 2017 pela comunicóloga e professora Karoline Vital no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual de Santa Cruz.

Concluindo sua jornada mundo afora, o espetáculo alcançou as terras europeias e se apresentou em julho deste ano durante o Sommerwerft Theater Festival 2019, na cidade alemã de Frankfurt. Durante o evento, o grupo do Teatro Popular de Ilhéus ainda apresentou o teatro de mamulengos “Baltazar e a terrível peleja entre o Cangaceiro e o Coronel”, além de ter ministrado oficinas e vivenciado atividades com grupos de teatro do mundo inteiro.

De volta ao lar, a apresentação faz parte da programação da III Feirinha Popular de Produtos Regionais, promovida pelo TPI. Com o tema “Boas-vindas à Primavera!”, o evento começará às 18 horas deste sábado (28), em frente à Tenda, reunindo expositores de artesanato, culinária e produtos naturais. As atrações artísticas ficam por conta da música de Cabeça Isidoro, a performance do Coletivo ArtDrag Sul/BA, as recitações dos cordelistas Gilton Thomáz, Gilberto Morais e Franklin Costa, além do brechó “Troca-Troca”. Por fim, “Teodorico Majestade” encerra a noite indo em cena às 20 horas. A feirinha é livre, e o espetáculo tem classificação 14 anos com ingressos na modalidade “pague quanto quiser”.

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

Filmes de Ilhéus e Ipiaú em mostra de cinema na TVE


A Mostra Voo de Cinema estreia na TVE partir desta quarta-feira (18). Os curtas selecionados serão exibidos todas as quartas-feiras, às 22h, até o dia 16 de outubro, e foram produzidos, nas cidades de Ipiaú e Ilhéus, pela Voo Audiovisual, uma das empresas mais atuantes do cenário cultural baiano, que desenvolve ações principalmente no interior do Estado.

Quem abre a mostra é o filme ‘É proibido menino calçado entrar na escola’, da obra do escritor Euclides Neto. O curta tem cinco minutos de duração e apresenta uma história real sobre a evasão de alunos de uma escola, por conta de um pé descalço. Com roteiro e direção de Edson Bastos e Henrique Filho, o filme recebeu o Prêmio ABCV de melhor filme, no Festival V Minutos 2014.

Neste mesmo dia, logo em seguida, a emissora exibe ‘O Velho e os Três Meninos’. O filme também é baseado na obra de Euclides Neto e conta a história três meninos que entraram em uma mansão para roubá-la. Ao se depararem com uma diversidade de comida, brinquedos e objetos luxuosos da casa, os meninos entraram num clima de diversão e começaram a brincar. A casa não estava vazia e o velho ranzinza está escondido, aguardando o momento certo para tomar uma providência sobre a invasão.

Maioria baiana

Operando na produção cultural no sul da Bahia há mais de cinco anos, a Voo Audiovisual acumula mais de 400 filmes exibidos, a maior parte deles, baianos. Os filmes da produtora já circularam pelos maiores festivais de cinema do Brasil, como o Festival de Triunfo, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, Tiradentes, além de ter bastante inserção internacional no circuito de Festivais Europeus, como o Festival de Cannes.

Até o mês de outubro outras obras como ‘Joelma’, ‘O Filme de Carlinhos’, ‘Cine Éden’, ‘Véras’ e ‘A Fórmula’ serão exibidas na TVE e poderão ser acompanhados pelo Portal  da www.tve.ba.gov.br/tveoline.

 

Baiano de Iguaí lança primeiro livro em bienal no Rio de Janeiro


Conhecido por revelar inúmeros talentos para a indústria da moda e da dramaturgia há 30 anos, Sérgio Mattos lançou seu primeiro livro de poesias pela Pod Editora. “Era uma vez um poeta” reúne 33 poemas inspirados em histórias e momentos vividos pelo profissional, apontado entre os maiores caçadores de talentos brasileiros.

O título da obra, lançada sexta-feira (6) na Bienal do Livro no Rio de Janeiro, foi inspirado no grupo que reúne atores, modelos e poetas para declamar poesias toda semana. Chamado de Era uma vez um poeta, o grupo foi criado por ele há dois anos, e o prefácio assinado pelo amigo de longa data e que foi descoberto por ele, o ator Cauã Reymond.

Serginho, como é carinhosamente chamado, conta que as inspirações muitas vezes vieram do universo da moda, mas confessa que seu olhar para a vida sempre foi poético: “Tudo o que vejo, presencio e vivo é uma inspiração para se transformar em poesia. A poesia é, para mim, um sentimento que sai naturalmente em forma de palavras. Moda e poesia andam juntas na minha vida”, explica.

O livro pode ser comprado pelo site da editora através do link: https://podeditora.com.br/produto/era-uma-vez-um-poeta/

Sobre o grupo de poesia

Num mundo cada vez mais tecnológico, Sergio Mattos, há dois anos, reúne os novos talentos da TV e da moda para declamar poesias de nomes consagrados como Chico Buarque, Paulo Leminski, Cazuza, Fernando Pessoa, entre outros.

Ou seja, nomes que muitos jovens nem sequer conheciam. O grupo, chamado “Era uma vez um poeta”, propõe para os jovens um grande resgate em nome da poesia. Na sala, tablets e smartphones de última geração são trocados por livros e cadernos, pois muitos também começam a criar suas próprias poesias.

Além, claro, de conhecer autores nacionais, aprendem a contar belas histórias, sem contar os lugares onde a poesia é capaz de levá-los. “Sempre fui fã de poesia e pensei: por que não usar dela para abrir a mente dos meus novos talentos? Acredito plenamente que muito mais que lançar profissionais cada vez mais completos, a poesia forma belos seres humanos“, diz o empresário, que também é poeta e, nos encontros, conta com a ilustre presença do ator e declamador Tomás Ribas.

Do grupo participam os atores Caio Cabral e Felipe Coutinho, que estão no ar na novela Bom Sucesso, da Rede Globo.