Novo apartamento de Giovanna Antonelli custou R$ 5 milhões; a cobertura é um luxo


giovanna-antonelli-cobertura

De acordo com o jornal Extra, Gionna Antonelli se deu de presente, em comemoração dos 40 anos, uma cobertura duplex de frente para o mar da Barra, na Zona Oeste do Rio. A atriz comprou o imóvel num condomínio e desembolsou por esse luxuoso pedacinho de teto cerca de R$ 5 milhões.

Os gastos com a nova residência não param por aí. Por mês, Giovanna vai pagar quase R$ 4 mil de condomínio e mais R$ 1 mil de IPTU. Puxado, né? Não é só isso. A atriz mandou quebrar tudo e está reformando o imóvel para que fique com a sua cara.

O “apezinho” tem quase 500m², com quatro quartos, suítes, hidromassagem, piscina, churrasqueira e forno à lenha na varanda. Giovanna e a família ainda vão desfrutar de quadras de tênis e vôlei, salões de festa, espaço gourmet e até orquidário. Há, ainda, um clube completo, com uma piscina no melhor estilo parque temático, restaurante, saunas, spa e academia com acompanhamento de personal trainer.

coberturacobertura
Leia mais: http://extra.globo.com/famosos/giovanna-antonelli-paga-5-milhoes-por-cobertura-de-frente-para-mar-no-rio-19089886.html#ixzz465F89Sqf

Homem de 101 anos mostra traços de uma vida alegre e saudável


 

Por Celina Santos

Num de seus versos mais famosos, o poeta mineiro Guimarães Rosa sentencia: “O que a vida quer da gente é coragem”. Tal máxima traduz, com perfeição, a trajetória do pastor maranhense Apolônio Pereira Brito, que completou 101 anos em 7 de janeiro e vive em Itabuna há 59. Filho de ex-escravos, ele nasceu num remanescente de quilombo e deixou a família de oito irmãos, para ganhar a estrada a pé, acompanhado apenas de um saco sobre as costas e um claro desejo: aprender a ler.

O então menino Apolônio escreveu, a partir dali, uma história real que acredita estar devidamente registrada no céu. “Eu tinha a maior fome pela leitura. Quando saí de casa, me despedi de minha mãe e disse: ‘Vou procurar um lugar onde eu possa estudar e trabalhar’. Nunca fui portador de recursos, mas de coragem sim”, recorda, num encontro com as ideias do escritor citado no início deste texto.

A primeira oportunidade de trabalho longe da terra natal, após andar quilômetros e dormir no mato, ele encontrou em garimpos de diamante e cristal em Goiás. “Achei pedra de diamante de 18 quilates, mas não conhecia nada e lá tinha os ‘capangueiros’ e fui roubado. Era diamante que dava pra comprar um avião, mas vendi baratinho”, exemplifica. Sempre em busca de estudar, foi parar no Piauí, em Pernambuco e, tempos depois, no Rio de Janeiro. Lá, cursou oito anos de teologia num instituto ligado à Igreja Batista.

 

União pra toda a vida

Na mesma Minas Gerais de Guimarães Rosa, nasceu Isabel. O caminho dela se cruzou com o de Apolônio no Rio de Janeiro, para onde também foi estudar. Casaram-se quando ele tinha 42 anos e tiveram seis filhos. “Santa Isabel, minha companheira. Só tive uma mulher, o que é raro. Fui criado na virgindade. (…) Sempre quis muito bem à minha esposa; modéstia à parte, fui fiel, ela merecia”, derrete-se, lembrando-se da digníssima, falecida há 7 anos.

Ao mesmo tempo em que reconhece ser incomum um homem ter apenas uma mulher, ele critica a forma fugaz como as relações se dão hoje. “Antigamente, quando o juiz, padre ou pastor diziam ‘estão casados até que a morte os separe’ … essa expressão não se ouve mais. Agora, eles podem dizer isso, mas o casal diz ‘até quando der’. Qualquer coisa é ‘não tá dando mais, tá roncando muito…’. Agora, isso é um contrassenso. Para a vida, para os relacionamentos, isso é ruim”, analisa.

 

Saúde além dos 100

Pastor Apolônio, que exibe um sorriso largo na maior parte do tempo, tem uma aparência que não deixa dúvidas quanto à saúde preservada junto com a idade. O único episódio que fugiu a essa rotina foi quando sofreu um grave acidente de carro, mas se recuperou. “Naquele eu morri e depois ressuscitei”, compara.

Ele conta que guarda muitos dos hábitos de quem foi criado na zona rural. Por exemplo, dorme por volta de 20 horas e acorda de 4h30min a 5 horas. Sobre a alimentação, não há restrições – mas tem uma preferência por peixe ao invés de carne vermelha. “Minha filha, só não como hoje H. Como qualquer coisa. Não tem especialidade não. Sempre comi de tudo. Sou menino criado na fazenda, acostumado com a vida rural, rústica, de pé no chão”, afirma, com uma contagiante gargalhada.

Ele confessa, inclusive, que gosta mais de estar no campo. “Eu nasci e me criei no duro, vida pesada na fazenda. Trabalhando, correndo atrás de boi, a pé, montado. Fui criado no pesado, com trabalho braçal. Não tenho uma vida muito sedentária. Não posso ficar parado. Eu gosto muito de fazenda. Moro lá e aqui. Gosto de fazenda mais do que da cidade. É mais tranquilo e tenho do que me ocupar; é muito monótona a vida da cidade. Ainda capino [com a enxada] e corto de machado dos dois lados”, detalha, dando ideia do vigor com o qual todos sonham até o centenário.

Quando está em Itabuna, na casa de uma filha, seu Apolônio dedica-se a um ritmo intenso de leituras e ouve rádio. Exerceu o ofício de pastor até os 100 anos. Hoje, ainda frequenta a igreja, mas já não está à frente de um rebanho, como ele diz.

 

Pitadas de felicidade

Mesmo tendo uma vasta bagagem intelectual – faculdades de teologia (batista e neo-testamentária) e filosofia, além dos ensinamentos da caminhada –, pastor Apolônio é modesto quando comentamos: O Senhor tem muito conhecimento… Ao que ele responde: “Tenho um pouco”.

Questionado se ficaram arrependimentos para trás, diz, convicto: “Não. Não tenho frustração de nada. A frustração por não realizar tudo que sonhei não dá pra me acabrunhar. O meu conhecimento da palavra de Deus me proporcionou essa grande bênção de viver muito, não me preocupo com nada. Eu me ocupo, mas não me preocupo. Porque há diferença entre se ocupar e se preocupar”.

E que conselho dá para quem quer viver até 100 anos nesse mundo tão conturbado? “Abstinência de tudo que seja prejudicial à saúde. Não beba álcool. A vida desenfreada contribui em 90% para reduzir a vida”, observa.

Visivelmente sereno e grato pela longa existência que já lhe foi concedida, ele prefere não externar por quanto tempo ainda deseja viver.  “Não tenho quantidade que eu possa imaginar. Estou inteiramente abandonado nos braços do dono da vida, do senhor de tudo, que é Jesus. Não me preocupo com isso, de modo que não tem limite”, argumenta. E tem uma certeza: “Eu sou muito feliz, graças a Deus!”.

Diante daquela história de vida que serve de exemplo, uma pergunta era inevitável: Qual foi a receita, para chegar aos 101 anos, forte desse jeito? “É uma só: confiança em Deus, trabalho, paz e bom relacionamento com todos”. Como seu Apolônio é uma poesia viva e, ao mesmo tempo, uma oração em forma de homem, só resta acrescentar: Amém!

Padaria Martins ofereceu surpresa no Dia da Mulher


A clientela feminina teve uma agradável surpresa ao chegar à Padaria Martins, no último 8 de março, para comprar o “pão nosso de cada dia”. O estabelecimento, cujo sucesso chama a atenção, promoveu uma série de homenagens sob o slogan “Mulher que inspira”. No pacote, limpeza de pele, dicas e make completa feita pelos maquiadores profissionais Fernanda Mota e Luan Senna, com experiência em grandes eventos.

Segundo Thiago Martins e Marielma Carvalho, proprietários do empreendimento, o objetivo foi “realçar a beleza natural das mulheres”. O evento contou com parceria da empresária Tenilly Cardoso, da Contém 1G (gerente, Samita Assis), que montou um estúdio no espaço e garantiu transformações incríveis. “Nossas clientes tiveram a oportunidade de conhecer a marca e a seriedade do trabalho dessa grande franquia e, com certeza, se apaixonar pelos produtos. A empresa Martins só tem a agradecer pelo privilégio dessa participação”, destacam.

As colaboradoras, que passam por treinamentos mensais voltados para melhores condições de trabalho, também tiveram seu dia de “mimos”, assim como as clientes. Receberam dicas com uma consultora da linha Mary Kay e com Fernanda Mota, que ensinou segredinhos de cuidados com a pele antes e depois da maquiagem.

“Iniciativas como essa proporcionam, acima de tudo, qualidade de vida. Elas se sentirão sempre bem, porque sabem que podem oferecer algo a mais para seu cliente, além da compra e venda, o que desencadeia uma relação de respeito entre ambos. A força que a marca leva é para qualquer um se orgulhar. Tanto colaborador quanto cliente poderão dizer: ‘minha padaria faz isso’”, acrescenta Marielma.

Ainda avaliando os resultados, os empresários consideram que o “Mulher que inspira” foi uma excelente oportunidade de encontrar os clientes e conhecer novos clientes potenciais. “Um ótimo espaço, com muito bom gosto, com resultados não só avaliados em números, mas no reconhecimento das palavras de muitos clientes que chegam felizes, gratos e estão sempre com a gente. E o mais bacana é que sempre, após eventos, costumamos ver novos rostos por aqui”, vibram.

A Padaria Martins, aberta inclusive aos domingos, funciona na Rua Reinaldo de Andrade, Praça São Sebastião, bairro de Fátima, em Itabuna. Contará em breve com um serviço de Buffet de café da manhã, para oferecer mais conforto e qualidade. O telefone de lá é (73) 3212-9678; WhatsApp: 98859-6790 e Facebook: Padariamartinspaeselanches. “Não trabalhamos com pães para servir pessoas; trabalhamos com pessoas para servir pão”, diz o slogan da bem-sucedida empresa.

 

 

 

Itabuna na Globo


A próxima novela das nove, Velho Chico, terá um olhar especial dos espectadores do sul da Bahia. Simples assim: Carlos Betão e Alba Cristina, itabunenses, vão estar na telinha da Globo. Alba será uma freira, professora de um convento. Betão será Aracaçú, pai de Leonor, que se envolve com Afrânio, personagem de Rodrigo Santoro.

Que legal! Carlos Betão, ex-operador de áudio da Rádio Jornal de Itabuna, junto e misturado com Santoro, ator reconhecido internacionalmente, com filmes em Hollywood. Mas não foi por acaso que ele chegou aonde chegou. Sua carreira de ator foi construída com muita perseverança e esforço.

Certo dia, jogando conversa fora com colegas, depois de filar aula no Colégio Estadual para participar de um curso de teatro com Aldo Bastos, no auditório do Colégio Ação Fraternal, Carlos Alberto, hoje simplesmente Carlos Betão, confidenciou um desejo: ser ator da Globo. E olha aí o sonho concretizado! Ele correu atrás. Isso é perseverança.

Levado para Salvador, nos anos 90, pelos atores Jurema Penna e Mário Gusmão, que aqui descobriram o seu talento, o nosso Carlos Betão procurou se aprimorar a cada dia. Não se acomodou. Buscou unir a prática do palco com a teoria da Universidade Federal da Bahia, onde estudou Artes. Isso é esforço.

E ele, que já era bom, ficou ainda melhor, correspondendo a expectativa de gente como Jussara Setenta, diretora do Centro de Cultura Adonias Filho, na época. “Mulher maravilhosa que também me ajudou muito”, lembra.

Esta não é a primeira vez que Carlos Betão, cunhado de um irmão do radialista Cacá Ferreira, da Difusora, é chamado para compor um elenco da Globo. Além da minissérie Gabriela, ele teve participação em Alexandre e Outros Heróis, especial exibido pela emissora em 2014.

O cara jogou duro nesse especial; teve bom desempenho e ficou bem na fita do diretor Luiz Fernando Carvalho, que não se esqueceu dele na hora de procurar um ator para ser Aracaçú, personagem muito importante na primeira fase de o Velho Chico. O encaixe foi perfeito. Carlos Betão ganhou o papel. “Itabuna me deu régua e compasso”, reconheceu o ator.

Quanto a Alba Cristina, sua participação é um pouco menor na trama de Benedito Ruy Barbosa. Mas não menos gratificante para uma profissional que sempre teve a sua vida norteada pela arte de representar e pelo gosto de cultivar a sua religiosidade no Ilê Axé Ijexá, terreiro de origem nagô fundado em Itabuna pelo professor Ruy Póvoas. “Viajo muito Brasil afora para dar aulas de teatro e divulgar nossa cultura afro-brasileira”, informou a atriz.

Alba Cristina, a exemplo de Carlos Betão, também fez teatro em Salvador. E lá, logo no começo de tudo, os dois viraram marido e mulher. Desta relação, nasceu Iajima, filha única do então casal. Vida que segue: Carlos Betão, em novo e atual relacionamento, deu um irmãozinho a Iajima: Ícaro Vila Nova, que trilha os caminhos do pai no mundo da arte. É cineasta.

Voltando à novela, a trama começa com mortes, duelos, confrontos familiares e o despertar de romances proibidos. Haja emoção! Velho Chico, que estreia agora em março, será desenvolvida na fictícia Grotas de São Francisco, no Nordeste brasileiro. É onde tudo começa, no final da década de 1960.

Por Valdenor Ferreira

Chapada Dimantina: Conheça a Beleza e o Encanto da Bahia


Chapada-Diamantina-Sunset

A Chapada Diamantina reúne variados atrativos naturais e culturais, no coração do Estado da Bahia. Roteiro certo para quem busca paz e tranquilidade ou para quem está atrás de história e aventura.

A vasta Mata Atlântica, campos floridos e planícies de um verde sem fim dividem a paisagem com toques de caatinga e cerrado. Imensos paredões, desfiladeiros, cânions, grutas, cavernas, rios e cachoeiras completam o cenário de rara beleza da Chapada Diamantina. Inicialmente habitada pelos índios Maracás, a ocupação de fato da região remonta aos anos áureos da exploração de jazidas e minérios, a partir de 1710, quando foi encontrado ouro próximo ao Rio de Contas Pequeno, marcando o início da chegada dos bandeirantes e exploradores. Em 1844, a colonização é impulsionada pela descoberta de diamantes valiosos nos arredores do Rio Mucugê, e os comerciantes, colonos, jesuítas e estrangeiros se espalham pelas vilas, controladas e reguladas pela força da riqueza. A atividade agropecuária tomba diante da opulência do garimpo.

Reduto de belezas naturais, a Chapada abarca uma diversidade grande de fauna e flora. São mais de 50 tipos de orquídeas, bromélias e trepadeiras, além de espécies animais raras, como o tamanduá-bandeira, tatu-canastra, porco-espinho, gatos selvagens, capivaras e inúmeros tipos de pássaros e cobras. O Parque Nacional da Chapada Diamantina, criado na década de 80 do séc. XX, atua como órgão protetor de toda essa exuberância.

Conheça Porto Seguro, destino da Suíça para concentração na Copa


destino-porto-seguro-praia-do-muta-main

Praias de Porto Seguro
Antes de escolher para qual praia o viajante quer ir, é preciso decidir primeiro se a proposta é frequentar uma praia badalada ou sossegada. Porto Seguro consegue reunir praias próximas que possuem objetivos diferentes.
A dica para ficar em praias tranquilas é conhecer Mutá e Coroa Vermelha, ambas possuem águas claras, pequenas faixas de areia e muita tranquilidade. Nessa região, o visitante fica tranquilo sem a presença de badalação. Praias nesse estilo calmo são: Curuípe, Rio dos Mangues e Ponta Grande.
Já quem prefere badalação, a ideia é conhecer Taperapuã, localizada a 7 km do centro de Porto Seguro. A praia possui diversas megabarracas, que contam com espaços de música baiana, dança com as coreografias do verão, shows, dançarinos e humoristas. Localidades com o mesmo estilo são: Mundaí e Itacimirim.
Reserva Indígena da Jaqueira
Não dá para deixar de visitar a Reserva Indígena da Jaqueira, que possui 827 hectares de mata nativa e ocas espalhadas pela reserva, ainda no formato original. Os indígenas que moram na localidade recebem os visitantes vestidos e pintados a caráter e ainda apresentam danças e rituais. O turista que chega ao local pode praticar arco e flecha, comprar artesanato local, adquirir artesanato confeccionado na própria tribo, fazer trilhas e degustar a culinária típica, que inclui pratos como o peixe assado na folha da patioba (espécie de palmeira). Para fazer a visita, é necessário o agendamento com a Associação Pataxó de Ecoturismo.

Thábata Mendes comemora sucesso na XCalypso


Thábata-Mendes-672x437A estreia de Thábata Mendes na XCalypso no último dia 3, em Ananindeua, na Grande Belém, foi um sucesso. Em entrevista ao jornal Extra desta quinta-feira (7), ela falou sobre o show.
“Me surpreendi muito com a reação do público. Foi muito positiva. Juro que esperava vaias, ovos e tomates em cima de mim”, disse Thábata.
Ela vai fazer mais seis shows ao lado de Ximbinha.”Ele me fala para me manter firme, com a humildade intacta e sempre fiel à minha essência, à minha identidade artística”.
A cantora garante que não tem tempo para romances. Ela está solteira há meses: “Não estou envolvida sentimentalmente com ninguém, só com o meu trabalho”.
Por fim ela falou que ainda não está ganhando dinheiro: “Ainda não estou ganhando dinheiro, não. Mas se Deus quiser, ele vai me proporcionar muito mais que a fama. Vai me dar o sucesso. Se for da vontade Dele, é claro”.

Novo Shopping de Vitória da Conquista está saindo do Papel.


banner01 (1)

 

Localizado na Avenida Olívia Flores, o Boulevard Shopping Vitória da Conquista deverá ser inaugurado dentro de dois anos, fazendo parte de um complexo mixed use desenvolvido para contemplar os segmentos residencial, empresarial e hoteleiro. Confira algumas imagens do que será o maior Shopping Center do interior baiano e mais informações no site oficial.

Star Wars: O Despertar da Força’ pode fracassar na China


battlefrontcapa00
Após quebrar recordes no mundo todo, ‘Star Wars: O Despertar da Força‘ estreia hoje no segundo maior mercado de cinema do mundo: a China. E, segundo especialistas, o filme deve enfrentar dificuldade para ultrapassar ‘Avatar‘ nas bilheterias de lá.

O motivo? A franquia ‘Star Wars‘ não é conhecida na China. Os primeiros filmes da saga foram exibidos pela primeira vez nos cinemas chineses durante a 18ª edição do Festival Internacional de Shanghai, que aconteceu em Dezembro de 2015. O evento marcou a primeira exibição de ‘Guerra nas Estrelas’ (1977), ‘Star Wars: Episódio V – O Império Contra-Ataca’ (1980) e ‘Star Wars: Episódio VI – O Retorno do Jedi’ (1983) em um cinema da China.

Os seis filmes da franquia foram censurados no país por décadas.

A China é conhecida por sua alta censura com todo e qualquer conteúdo violento e político, e os filmes norte-americanos passam por uma alta avaliação para estrear por lá. Apenas 10% das produções norte-americanas são lançadas na China, após passar pelos censores extremamente rígidos. Apesar de ser o segundo maior mercado cinematográfico do mundo, atrás apenas dos EUA, o governo chinês mantém um bloqueio sobre o número de filmes estrangeiros que são exibidos por lá.

Segundo a companhia financeira Nomura Holdings, ‘Star Wars: O Despertar da Força‘ deve arrecadar em torno de US$ 230 milhões se fizer o sucesso esperado por lá, após a fortíssima campanha de marketing da Walt Disney.