Dreamakers lança o Fashion Resort 2019 em Porto Seguro


Após 10 anos à frente do Fashion Cruise – projeto que alia música, moda e arte em alto mar, reunindo o mercado com jovens estudantes, grande percursor que serviu de inspiração a novos projetos neste segmento – a diretora criativa da Dreamakers, Carla Wolff, que possui formação em turismo, especialização em planejamento e marketing turístico, mestrado em hospitalidade e economia criativa, inova mais uma vez ao criar o Fashion Resort.

Com foco no Made in Brazil, tema que ao ser anunciado no início do ano gerou novos olhares e discussões no mercado de moda, o evento tem como objetivo o incentivo a internacionalização de marcas brasileiras, reunindo compradores internacionais e profissionais do mercado dedicados a promover a economia criativa brasileira no exterior, com participantes interessados em trocar experiências de como encarar a moda e o design brasileiro de forma criativa e profissional em um mundo cada vez mais conectado. “É a força do Brazil com Z fortalecendo o Brasil com S”, comemora a idealizadora do projeto.

A escolha de Carla Wolff para auxiliá-la na comunicação do evento e recepção dos participantes, foi uma dupla de embaixadores que carregam em sua história uma brasilidade conhecida no mundo todo, o estilista Dudu Bertholini e a modelo Carol Ribeiro.

Dudu é conhecido como um dos ícones da moda brasileira, com talento único para transformar qualquer tecido ou projeto em uma verdadeira obra de arte. Já Carol Ribeiro foi escolhida por ser uma das modelos mais requisitadas e prestigiadas do mundo, além de ser descendente de índios e portugueses, com um biotipo bem exótico.

A patrocinadora master dessa primeira edição será a Facextrade, empresa especializada e líder em exportação de moda e design, ao lado da marca Vogue Eyewear do grupo Luxóttica – maior fabricante de óculos do mundo. “O mercado internacional para ser explorado precisa de um amplo trabalho de promoção, e apoiar um projeto tão original, que representa a essência criativa do nosso destino, será muito positivo para a imagem das marcas participantes, estimulando novos negócios e a fidelização de grandes compradores”, diz Alba Ferrari, diretora da Facextrade.

Com o objetivo de fortalecer a marca no Brasil, serão realizadas atividades estratégicas durante o evento em parceria com empresas e entidades do setor que visam promover exportações e valorizar os produtos e serviços da economia criativa brasileira no exterior. O caminho inverso também terá espaço no evento, uma vez que haverá um intercâmbio de informações com empresas estrangeiras que se adaptaram para entrar no mercado nacional.

A primeira edição do Fashion Resort será realizada entre os dias 26 e 29 de outubro no Arraial d’Ajuda Eco Resort, no sul da Bahia, promovendo o destino do descobrimento do Brasil, sua história e a cultura local. Serão quatro dias de experiências com showroom, desfiles e fashion presentations de marcas que trazem uma brasilidade em seu DNA, festas tropicais, além de uma programação imersiva de talks e masterclasses em torno do tema do evento.

 “Além das experiências de moda e design teremos outras atividades promovidas em parceria com a Secretaria da Cultura como apresentações culturais envolvendo a comunidade local. Nosso objetivo é receber os participantes com a hospitalidade genuína brasileira, promovendo assim o mercado criativo de uma forma singular e envolvente”, finaliza Carla Wolff

Sue Lasmar perde quase 20kg e mostra nova silhueta: ‘me sinto plena’.


Sue Lasmar é uma referência internacional no fitness. A morena estampa as principais campanhas de produtos ligados a musculação tanto no Brasil como nos Estados Unidos e ostenta um corpão, que já lhe deu o título de ‘O Corpo mais perfeito dos EUA’. Mas, ao contrário dos músculos que exibe hoje, sua forma já foi um pouco mais “cheinha” e tem uma incrível história de superação.

Através da malhação e uma dieta bastante controlada, Sue transformou suas medidas e chegou a impressionantes 7% de gordura corporal. No entanto, ela conta que hoje se mantém sarada não pretende voltar a esse condicionamento tão ‘seco’: “através de anos de dietas restritivas ao extremo e muita malhação cheguei a 7% de gordura no passado quando eu competia. Eu saí de 32% para 7%. No entanto, atualmente não acho que vale a pena voltar a alcançar esse patamar com o meu corpo, pois não é saudável nem sustentável, a não ser que eu volte a competir. Quem sabe? Mas fora de competição, pretendo me manter como estou. Hoje me sinto mais plena e tenho o corpo que sempre quis”.

Atualmente em uma nova fase, mais moderada e sem exageros, Sue ostenta excelente forma física e revela que recentemente perdeu quase 20kg: “Engordei ano passado novamente, pesando 85 kg, no que chamamos de bulking, que é a fase em que ganhamos peso para ganhar mais massa. Agora na fase de cutting, perdi o peso extra novamente e estou com 68kg. Fui de 32% de percentual de gordura corporal para 14% em poucos meses”.

Instituto Mix forma novas cabeleireiras em Ilhéus


Foto: revista Bellas

Quatro alunas do Instituto Mix de Profissões, em Ilhéus, viveram momentos de alegria, segunda-feira, 15, dia em que receberam o certificado de conclusão do curso de Cabeleireiro. Elas, portanto, estão prontas para o conceituado mercado de trabalho.

Conceituado por que? Porque o trabalho com beleza é lucrativo, além de gratificante. Cuidar do cabelo, com certeza, faz parte da rotina das mulheres, indistintamente. Não importa a classe social ou o poder aquisitivo.

A foto, pela ordem, mostra a alegria de Lidiane Paixão, experiente instrutora, e das formandas Josiane Santos, Silvana Souza, Joenice Nascimento e Andreza Alves. A tarde-noite de festa foi, também, de discursos e “comes e bebes”.

Durante a cerimônia de certificação, as novas cabeleireiras destacaram a qualidade das aulas dadas por Lidiane Paixão, profissional com vasto conhecimento de teoria e prática quando o assunto é salão de beleza e tudo o que ali é desenvolvido.

O profissionalismo do Instituto Mix também foi lembrado na cerimônia. Para quem ainda não sabe, a escola, que faz parte de uma rede de cursos profissionalizantes, fica na Avenida 2 de Julho, 1049, centro de Ilhéus. Ligue☎️ 73.3231.3894/📲zap 99128.7156/98800.3896

Um brinde ao sucesso

Especialista em moda comenta looks das famosas no Baile da Vogue 2019


O empresário e especialista em moda Douglas Rocha comenta os looks usados por famosas no Baile da Vogue

O Baile da Vogue 2019 não fugiu à regra e mostrou o melhor do mundo das celebridades no que tange ao glamour, elegância, estilo e beleza. É um momento onde as estrelas brilham ainda mais e exibem looks dignos desta grande ocasião.

O empresário e especialista em moda Douglas Rocha analisou os looks que as famosas usaram no baile da Vogue este ano e destacou três famosas em especial: Sabrina Sato, Sheron Menezes e Manu Gavassi. Confira a opinião do especialista:

Sabrina Sato

Sabrina Sato, uma das apresentadoras do Baile da Vogue, deu o que falar com look idealizado por um grande nome da moda que confeccionou a peça com material de organza de seda associado a joias incríveis. 

O que me chamou a atenção foi o colorido da peça, já que o tom dado para o evento teria sido o dourado e mesmo com pouca predominância da referência dada. 

Sabrina conseguiu interpretar sua produção de forma simples e objetiva ao chegar no evento: “Estou celebrando o amor”. 

Pude perceber e valorizar ainda mais a ideia da criação que, embora mal interpretada, estava diretamente ligada ao que atualmente estamos mais precisando, que é o amor. Moda pra mim é arte e a artista soube representar tudo realmente de uma forma simples e objetiva

Sheron Menezes

Apesar do dourado ter sido o tom da festa, Sheron Menezes se destaca também pela atitude de usar um look com predominância de tonalidade semelhante ao dourado que fez todo o diferencial ao marcar presença no evento com joias que incrementaram sua produção, tornando a atriz uma das mais belas do baile do último fim de semana em São Paulo.

Manu Gavassi

As luvas são partes das criações mais antigas da moda e a contadora Manu Gavassi não deixou a desejar quando fez referência a inesquecível Audrey Hepburn. O ar de princesa se concretizou também pelo destaques das ombreiras, referência totalmente apurada e exposta em forma de arte, conceito e sofisticação que completaram a magia do look.

Moda outono/inverno mistura liberdade, estilo e conforto


Já ouviu aquela velha frase “Isso é fora de moda”? Esqueça! A grande tendência do outono/inverno é fugir dos padrões, misturar e deixar fluir o SEU estilo. Mas é claro que tem aquele visual predominante. Para lhe deixar a par do que promete fazer ferver a estação mais fria, vamos lá.

Como o sul da Bahia não costuma esfriar tanto, combina muito a tendência do padrão floral com cores tênues. A estampa pode convidar pra um retorno a décadas passadas, aquela linha vintage.

Não precisa ter medo de parecer um jardim, seja com flores bordadas ou gráficas. Pode ser num look completo ou num vestido, com acessórios mais neutros. É aquele charme despretensioso, sabe?

Do brilho ao vermelho

Mas quem não tá afim da linha meiga/sensual, pode cair no brilho. Os metalizados, o dourado e o prateado vêm aí. Vale tanto na roupa como no acessório. O prata volta com reminiscências, como botas de glitter. Um presente bem futurista, não é? Dica: saias e calças prateadas podem vir combinadas com t-shirt branca.

Aquelas que preferem uma cor única têm no vermelho um grande aliado no momento. Pode, inclusive, jogar a tom da cabeça aos pés. Pode escolher veneziano, escarlate, carmim, sangue de boi, cereja – a cor da sedução e por aí vai.

Tecidos e peças

Uma aposta está nos tecidos de alfaiataria clássicos (que tal o xadrez?), nas estampas mais ousadas, nas roupas com toque militar e até no charmoso veludo. Sem problema! Volta com tudo, aliás, aquele bom e velho jeans, com cintura mais alta. Olha a diversidade de estilos.

Ah! Também estão em alta os casacos com manga ¾ ou 7/8. Eles vêm com novos tingimentos e até uns charmosos detalhes de pelo. O lema, portanto, é decidir; do jeito que você preferir. Puro poder, hein?

Low Pressure Fitness: a técnica da ‘barriga negativa’


O Low Pressure Fitness (LPF) é uma técnica Europeia, nova no Brasil, e vem sendo apresentada pela primeira licenciada neste método de Itabuna e região, a fisioterapeuta Moanna Ferreira Santos. Pelos rápidos resultados em redução de circunferência abdominal, a técnica surpreende e ganha cada vez mais adeptos. Mas Moanna garante que é apenas um dos resultados que essa maravilha promete (e cumpre!).

Revista Bellas – O que é o LPF?

Moanna – É um inteligente programa de treinamento postural e respiratório, inspirado na ginástica hipopressiva (desenvolvida nos anos 80), que tinha como objetivo a recuperação da musculatura abdominal e de assoalho pélvico no pós-parto, através do vácuo abdominal. A diferença das duas técnicas é que o LPF aprimora os estudos da hipopressão, associando-os aos conceitos de cadeias miofasciais e mobilização neural. Os objetivos são preventivos, terapêuticos e fitness.

Revista Bellas – De qual pressão estamos falando?

Moanna – O peso das vísceras, combinado ao efeito da gravidade e a fraqueza da musculatura abdominal em repouso, gera um aumento da pressão intra-abdominal, promovendo o desequilíbrio de forças posturais para frente, para os lados, para trás e para baixo. Toda a região de CORE (músculos de sustentação do tronco) é afetada, gerando distúrbios viscerais, na coluna, no assoalho pélvico e estético – barriga proeminente. A hipopressão é a redução dessa força e, consequentemente, o reajuste postural e a ‘cintura fina’.

Revista Bellas – Qual a relação entre a técnica e o realinhamento postural?

Moanna – Os músculos do corpo são compostos, principalmente, por dois tipos de fibra muscular: as de contração lenta e as de contração rápida. As fibras de contração rápida são para explosões (pouco resistentes à fadiga, pois usam a energia estocada no músculo); e as de contração lenta, para manutenção da postura (muito resistentes à fadiga, obtêm energia através do Oxigênio sanguíneo). Os músculos do CORE são 70% compostos por fibras de contração lenta. Ao associar a respiração adequada ao vácuo abdominal (abertura do diafragma e costelas), e as posturas da técnica, as fibras de contração lenta são ativadas INVOLUNTARIAMENTE. Com isso, gera um aumento do tônus muscular em repouso e a consequente reprogramação postural.

Revista Bellas – E a cintura fina?

Moanna – É o resultado atingido através do aumento de tônus muscular, em que a região de CORE é unida como um espartilho, diminuindo assim a circunferência abdominal. Vale ressaltar que o LPF não queima gordura. Outros exercícios são sempre necessários, para uma reeducação física saudável e constante.

Revista Bellas – Por que esse método é diferente do abdominal convencional?

Moanna – Os abdominais convencionais ativam em predominância a porção mais externa dos músculos que compõem o abdômen, o reto abdominal. Estudos eletromiográficos mostram que, além de gerar um aumento da pressão intra-abdominal durante a execução do movimento, a ativação constante das fibras de explosão inibe as de contração lenta. Um método não anula a necessidade do outro (principalmente em atletas que precisam de explosão), mas o LPF ativa a tonicidade em repouso, o que nenhuma outra modalidade faz.

Revista Bellas – Qual o público-alvo e os benefícios do LPF?

Moanna – Qualquer pessoa pode fazer o LPF. Mas observam-se maiores efeitos benéficos na diástase abdominal do pós-parto (além do remodelamento muscular, a ativação excêntrica da fáscia estimula produção de colágeno e elastina); pacientes com incontinência urinária e/ou fecal, e atletas de alto rendimento. Os benefícios são diversos: melhora da postura (através da consciência corporal e tonificação da musculatura de CORE); fortalecimento de assoalho pélvico (melhora da função sexual e incontinências urinária e fecal); melhora da constipação (aumento do fluxo sanguíneo na região visceral); aumento da produção dos glóbulos vermelhos e das hemoglobinas e, consequentemente, o transporte de oxigênio no corpo.

Revista Bellas – Como é o procedimento?

Moanna – É agendada uma avaliação, com breve introdução da técnica no mesmo dia. A partir de então, mantém-se a rotina de uma, duas ou até três vezes por semana, com duração de 30-40 minutos. Primeiro particular, depois em grupos de, no máximo, quatro pessoas. Além disso, é orientado que o cliente faça em casa, diariamente, cinco minutos, para manter a reprogramação e o compromisso.

Moanna Ferreira Santos – FISIOTERAPEUTA

CREFITO 204993F

Pós-graduada em Osteopatia

Licenciada Low Pressure Fitness

CODI – Clínica Odontológica de Itabuna

Rua Ruffo Galvão, nº 235, Centro – Itabuna-BA

Instagram: moa_f.santos

WhatsApp: (73) 99169-6171

Cabelos cheios e compridos: Mega hair pode durar até um ano e meio


Quer ser dona de cabelos longos e/ou cheios, mas não tem paciência para esperar ou não consegue naturalmente? O caminho pode ser colocar mega hair. A cabelereira Janny Mota, do Vip Space, atende famosas como Lexa e a ex-BBB Mayara e explica que qualquer pessoa pode fazer o procedimento.

“Qualquer pessoa pode usar, indicamos a melhor técnica para cada tipo de cabelo, e fazemos a cor respeitando a textura de cada um”, disse a profissional, que só trabalha com fios naturais.

Segundo Janny, as manutenções variam, entre 40, 60 e até 90 dias e está sujeita ao crescimento e oleosidade dos fios e pode durar vários meses: “Dependendo da textura e cuidados os fios colocados duram de 8 meses a 1 ano e meio”.

Quem pensa que o procedimento é indicado apenas para quem quer alongar os fios está enganado. Quem quer os cabelos cheios também pode colocar mega hair.

No salão da profissional, existe técnicas de extensão do cabelo que demoram apenas 30 minutos para ficarem prontas. Outras podem demorar duas horas.

Depois de colocado os fios, a vida segue normalmente. Pode ir na praia, piscina e fazer outras atividades sem retirar a extensão.

“Em casa devem ter o devido cuidado de lavar, hidratar e secar. De resto, vida normal”, finalizou a cabeleireira.

Dermatologista dá dicas para a saúde da pele


As altas temperaturas, o início das férias escolares e a chegada das festas de final de ano tendem a aumentar a preocupação com o visual e, consequentemente, a lotar os consultórios médicos em busca de uma solução a curto prazo. Embora a chegada da estação mais quente do ano aconteça em pouco mais de 1 mês, existem tratamentos que trazem resultado rápido e que prometem melhorar o aspecto da pele antes da chegada do verão. O médico dermatologista, André Lauth, traz algumas orientações para quem está em busca de soluções para o verão.

Bioestimulação do Colágeno

A bioestimulação pode ser realizada com duas substâncias distintas, com resultados semelhantes, mas que variam de pessoa para pessoa. Uma delas é o ácido poli-L-lático, comercializado no Brasil com o nome Sculptra®; a outra é a hidroxiapatita de cálcio, mais conhecida como Radiesse®. Estas substâncias, quando aplicadas na pele, promovem estímulo à produção de colágeno, trazendo melhorias na qualidade da pele e redução na flacidez. O procedimento pode ser realizado no rosto, abdômen e braços.

Sua aplicação é parecida com a do preenchimento de ácido hialurônico, porém com durabilidade um pouco maior, de até dois anos. São recomendadas três sessões, mas é comum ver pacientes satisfeitos com uma ou duas aplicações. Em geral, resultados já podem ser vistos um mês após a primeira sessão.

Preenchimento

Consiste na injeção de um gel de ácido hialurônico com o objetivo de harmonizar os contornos da face. É mais utilizado para corrigir o “bigode chinês”, o “código de barras” (rugas ao redor dos lábios), as olheiras fundas e para aumentar os lábios e as bochechas. Pode também ser utilizado para tratar rugas mais marcadas na testa e ao redor dos olhos (aquelas que não desaparecem completamente com a aplicação de toxina botulínica). Na região da mandíbula, o preenchimento deixa o rosto mais angular e, nas mãos, pode melhorar o aspecto emagrecido e com vasos sanguíneos muito aparentes.

É possível observar o resultado da aplicação logo ao fim do procedimento. Em geral, ocorre algum edema (inchaço), que costuma regredir em até uma semana. Quando aplicado em locais com maior mobilidade como os lábios, o ácido hialurônico dura menos, algo em torno de seis a oito meses. Já quando aplicado profundamente, como nas bochechas, pode durar até doze a dezoito meses.

Botox

Se a sua intenção é amenizar as rugas da testa, glabela (entre as sobrancelhas) e “pés de galinha”, a toxina botulínica é, provavelmente, a melhor opção. Além disso, ela pode ainda ser usada para tratar o sorriso gengival (quando a gengiva superior aparece muito ao sorrir), as rugas e pregas no pescoço e melhorar o contorno da face. É ainda muito eficaz em reduzir o suor nas axilas, que costuma aumentar com o calor do verão.

Atualmente, procuramos usar a toxina botulínica para melhorar a aparência e a expressão facial sem paralisar completamente, ao que damos o nome de miomodulação, mas o tratamento clássico também pode ser feito de acordo com a preferência de cada paciente.

O resultado da aplicação pode ser visto em até duas semanas. “Quando se trata de melhorar a aparência da face, nada é mais rápido e eficaz que a associação entre preenchimento e toxina botulínica, sem contar o baixo risco e o conforto dos procedimentos” diz o médico dermatologista André Lauth.

Cuidados com o sol

Engana-se quem pensa que os cuidados com a pele devem ser feitos apenas antes da chegada das altas temperaturas. Os dermatologistas fazem algumas recomendações a fim de garantir a alegria nas férias, bem como uma pele bonita e saudável. O protetor solar é item indispensável, mas, para garantir sua eficácia, é necessário escolher o tipo certo. Para isso, é importante entender alguns fatores a respeito da luz solar. “O sol emite dois tipos principais de radiação que prejudicam a pele, a Ultravioleta A (UVA) e a Ultravioleta B (UVB). A UVA está presente durante todo o dia e é a principal responsável pelo bronzeamento tardio. Já a UVB é a principal responsável pelas queimaduras solares e manchas, com maior incidência das 10h às 16h”, explica o médico dermatologista, André Lauth.

Sabendo disso, ao escolher o protetor, alguns critérios precisam ser observados. Por exigência da ANVISA, todo protetor solar deve ter em sua embalagem o FPS (que mede a proteção contra UVB) e o PPD (que mede a proteção contra UVA). Segundo o Dr. André Lauth, “o ideal é que o protetor solar tenha um FPS 30 ou maior. Já o PPD, pode estar na embalagem como um número, que deve ser pelo menos 1\3 do FPS, ou em sinais de positivo (+). Um sinal significa baixa proteção UVA e três, alta proteção UVA”.

A escolha deve levar ainda em consideração o tipo de pele de cada um. Peles secas, geralmente, aceitam bem a maioria dos produtos disponíveis no mercado. Entretanto, as pessoas com peles mistas e oleosas devem escolher protetores com toque seco, oil control (com controle de oleosidade) ou oil free (livre de óleo), informações que devem estar presentes nos rótulos dos produtos.

 

 

Fitness model declara seu amor a musculação tradicional e diz: “crossfit me masculiniza”


Gabriela Bayerlein é uma atleta fitness conhecida pelo Brasil e pelo mundo. A beldade, que já esteve no top five mundial de esportistas da categoria, também faz sucesso nas redes sociais levando seu estilo de vida saudável aos seus milhares de seguidores.
Na contramão da onda do momento, a atleta garante que é uma apaixonada pela musculação tradicional e até chegou a fazer algumas aulas de crossfit mas não gostou nada, nada dos resultados.
“Me realizo na musculação, mas tenho algumas questões pessoais de imagem. Por exemplo, treino oblíquo sem carga para não perder a cintura, não quero aquela cintura quadrada. E depois de algumas sessões de crossfit percebi que a minha forma estava mudando radicalmente. Minha cintura começou a sumir, meu abdômen ficando marcado e eu sempre prezei pela minha feminilidade, crossfit me masculiniza”, pontua.
Primeira atleta internacional da WBPF, Gabriela foi uma das percursoras no cenário fitness brasileiro a trabalhar um shape mais natural. “Em todas competições que participei nunca foi exigido um shape ultra musculoso, e se fosse exigido eu não participava porque sempre achei estranho. Equilíbrio é a minha palavra de cabeceira, tudo com exageros perde a essência”.