Novidades

projeto Armário Coletivo de Ilhéus completou sete meses com milhares de objetos compartilhados, entre livros, roupas, sapatos e até mudas de plantas. A ideia de dois moradores do bairro Pontal, com apoio institucional do Grupo de Amigos da Praia, partiu do conceito de Economia Circular e Compartilhada. Diante da situação de incertezas em relação ao Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em que diversos alunos não tem acesso à internet de alta velocidade, bibliotecas e colégios ainda fechados, sentiu-se a necessidade de instigar ainda mais a troca de livros e módulos escolares. “Quantos estudantes terminaram o ensino médio em dezembro de 2019 e têm esse material bom e atualizado em casa? Revistas, livros literários também são bem vindos, estudantes de escolas públicas e particulares, que estudam com bolsas, ou que os pais perderam o emprego, estão em vulnerabilidade, e o compartilhamento pode ser este pontapé para mudarmos isso. Conhecimento precisa ser compartilhado de várias formas. Mas compartilhar é uma via de mão dupla, da mesma forma que você pode deixar o que quiser, pode pegar o que precisa, caso encontre”, convida a equipe responsável pelo projeto. O Armário Coletivo está à disposição na Travessa do Bonfim, bairro Pontal Lógica do compartilhar A advogada Jurema Cintra, co-fundadora da ação, argumenta: “Compartilhamos carros particulares através de aplicativos famosos, compartilhamos imóveis e aluguéis por temporada também, o UBER e AirBNB são a grande prova de que a Economia Compartilhada é o presente e o futuro; precisamos desfrutar deste poder econômico, desta abundância”. Ela explica que o Armário se baseia em três princípios: – deixe o que gostaria de receber; – cuide do armário como se fosse seu; – compartilhe o que quiser. Ao seu dispor Assim, através do compartilhamento de itens de segunda mão em perfeito estado para serem reutilizados, da auto-gestão e auto-responsabilidade, o armário fica numa calçada, ao ar livre por 24 horas, todos os dias. Basta procurar a Travessa do Bonfim, bairro Pontal, bem próxima a outra entrada do Colégio Militar. “Neste momento de Pandemia e incertezas, o Armário continua sendo frequentado, muitas pessoas estão por mais tempo em casa, e percebendo o tanto de objetos que possuem e não usam. O Armário Coletivo visa gerar esta indagação: o USO não seria mais importante que a POSSE? Pra quê ter uma furadeira super cara quando precisamos apenas do furo na parede???”, acrescenta Jurema Cintra. Outras informações podem ser obtidas no Instagram @armario_de_ilheus, pelos telefones (73) 99112-8849 ou e-mail [email protected]

Eventos e Novidades Variedades Cultura Personalidades


Novidades

projeto Armário Coletivo de Ilhéus completou sete meses com milhares de objetos compartilhados, entre livros, roupas, sapatos e até mudas de plantas. A ideia de dois moradores do bairro Pontal, com apoio institucional do Grupo de Amigos da Praia, partiu do conceito de Economia Circular e Compartilhada. Diante da situação de incertezas em relação ao Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em que diversos alunos não tem acesso à internet de alta velocidade, bibliotecas e colégios ainda fechados, sentiu-se a necessidade de instigar ainda mais a troca de livros e módulos escolares. “Quantos estudantes terminaram o ensino médio em dezembro de 2019 e têm esse material bom e atualizado em casa? Revistas, livros literários também são bem vindos, estudantes de escolas públicas e particulares, que estudam com bolsas, ou que os pais perderam o emprego, estão em vulnerabilidade, e o compartilhamento pode ser este pontapé para mudarmos isso. Conhecimento precisa ser compartilhado de várias formas. Mas compartilhar é uma via de mão dupla, da mesma forma que você pode deixar o que quiser, pode pegar o que precisa, caso encontre”, convida a equipe responsável pelo projeto. O Armário Coletivo está à disposição na Travessa do Bonfim, bairro Pontal Lógica do compartilhar A advogada Jurema Cintra, co-fundadora da ação, argumenta: “Compartilhamos carros particulares através de aplicativos famosos, compartilhamos imóveis e aluguéis por temporada também, o UBER e AirBNB são a grande prova de que a Economia Compartilhada é o presente e o futuro; precisamos desfrutar deste poder econômico, desta abundância”. Ela explica que o Armário se baseia em três princípios: – deixe o que gostaria de receber; – cuide do armário como se fosse seu; – compartilhe o que quiser. Ao seu dispor Assim, através do compartilhamento de itens de segunda mão em perfeito estado para serem reutilizados, da auto-gestão e auto-responsabilidade, o armário fica numa calçada, ao ar livre por 24 horas, todos os dias. Basta procurar a Travessa do Bonfim, bairro Pontal, bem próxima a outra entrada do Colégio Militar. “Neste momento de Pandemia e incertezas, o Armário continua sendo frequentado, muitas pessoas estão por mais tempo em casa, e percebendo o tanto de objetos que possuem e não usam. O Armário Coletivo visa gerar esta indagação: o USO não seria mais importante que a POSSE? Pra quê ter uma furadeira super cara quando precisamos apenas do furo na parede???”, acrescenta Jurema Cintra. Outras informações podem ser obtidas no Instagram @armario_de_ilheus, pelos telefones (73) 99112-8849 ou e-mail [email protected]

Edições da Revista