TV Santa Cruz recebe inscrições para o Projeto Lápis na Mão


Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da educação e cidadania nas regiões sul e extremo sul da Bahia, o projeto “Lápis na Mão”, que é parte do calendário pedagógico das escolas da localidade, está com inscrições abertas. Leitura, música, contação de histórias e aulões de redação fazem parte das ações que compõem a iniciativa.

Com o tema “Leituras e Artes: inclusão para a vida”, o concurso de redação, desenho e contadores de história está com inscrições abertas até o dia 10 de outubro. Nessa primeira etapa, as escolas públicas e privadas participantes devem enviar os trabalhos, juntamente com a ficha de inscrição, na sede da TV Santa Cruz, em Itabuna. Há também a opção de envio para o e-mail [email protected] e dos vídeos por whatsApp, no número (73) 9.9997-1606.

Podem participar estudantes da rede pública e privada da região sul e extremo sul, matriculados nos Ensinos Infantil, Fundamental I e II; Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA), além das pessoas 65+. Os formulários de Inscrição e regulamento estão disponíveis no site www.projetolapisnamao.com.br, onde os participantes terão acesso a todas as informações sobre o concurso. O resultado da primeira etapa será divulgado no dia 31 de outubro.

O Lápis na Mão 2022 tem a realização da TV Santa Cruz, com o patrocínio da SICOOB COOPEC, Prefeitura Municipal de Ilhéus, Suzano e da Faculdade Santo Agostinho (FASA); além do apoio da e Bahia FM Sul e da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) que fará toda a correção dos trabalhos inscritos.

Escritora Rita Santana na presidência da Academia de Letras de Ilhéus


A escritora Rita Santana tomará posse na Academia de Letras de Ilhéus, no dia 24/09 (sábado), às 19 horas, a solenidade ocorrerá na sede da Academia.  A chegada da escritora na Academia é aguardada com entusiasmo pelos confrades e confreiras, assim como pelos familiares e amigos da poeta e, especialmente, por seus leitores. 

A eleição de Rita Santana para a Academia de Letras de Ilhéus ocorreu em junho deste ano após a indicação via carta subscrita por diversos membros da Academia e homologação ocorrida em reunião do sodalício, que definiu o nome da professora Rita Santa para a cadeira nº 37, que pertenceu ao jurista Mário Albiani, falecido em 11 de julho do ano passado.

A escritora Rita Santana é natural de Ilhéus e bastante conhecida nos meios culturais do sul da Bahia e em Salvador, em razão de seu trabalho como escritora, atriz e professora. Ela possui livros de contos e poesia, além de diversos textos em antologias publicadas no Brasil e no exterior. O seu nome é verbete no site da Universidade Federal de Minas Gerais e o livro de poesia “Alforrias” publicado pela Editus é considerado uma obra prima da literatura baiana contemporânea.

A escritora Rita Santana será saudada pelo professor universitário, ensaísta e poeta Aleilton Fonseca, membro das Academias de Letras de Ilhéus, Itabuna e da Bahia. Para o escritor Aleilton Fonseca xxxxxxxxxxxxxxxxxx. Para a mais nova imortal, Rita Santana, “é uma alegria imensa ser acolhida de forma tão calorosa pelos conterrâneos. Sinto que é o momento de retribuir a Ilhéus tudo que aprendi e vivi. A dimensão do afeto que tenho recebido é imensurável”, concluiu a escritora. 

Diversos membros da Academia de Letras de Ilhéus já confirmaram presenças, além de autoridades e convidados. A solenidade será conduzida pelo presidente da Academia, o escritor Pawlo Cidade.

Formando no Bolshoi, itabunense busca apoio para ir aos Estados Unidos


O jovem Jadeson Santos Reis tornou-se conhecido em Itabuna, quando conquistou uma vaga para estudar no Ballet Bolshoi, em Santa Catarina. Vindo do bairro Fonseca, fazia parte do então projeto Viv-ar-t e tinha nove anos. Hoje, aos 17, o garoto está concluindo o curso no sul do país e foi convidado para estudar no “Miami City Ballet School”, nos Estados Unidos. “Irei ingressar no mês de setembro, no lugar que sempre esteve em meus planos”, revela.

Abraçando a oportunidade, o bailarino itabunense conta com o apoio dos conterrâneos e de todos que acompanham a trajetória dele. Uma vaquinha virtual foi montada, como caminho para obter recursos e manter-se no país vizinho. Quem quiser colaborar pode acessar este endereço.

“Sou grato a todos que me ajudaram a chegar aqui; através dessa vakinha, venho pedir uma ajuda a vocês. Essa é uma oportunidade muito boa e quero aproveitar ao máximo. Preciso arcar com algumas despesas, que infelizmente eu e minha família não temos muitas condições. Venho aqui encarecidamente pedir a ajuda de vocês, para a realização deste sonho. Gratidão”, conclama o jovem dançarino.

Centro Cultural Teosópolis promove noite de autógrafos de autores regionais


O Centro Cultural Teosópolis promove, no dia 15 de julho, às 18h30, uma noite de autógrafos com obras de sete autores. O evento Obra & Autógrafos tem o apoio da editora Via Litterarum e da Academia de Letras de Itabuna, acontece na sede do Centro Cultural Cacilda Lourenço Silva localizado na Rua C, 298, Praça dos Eucaliptos, no bairro da Conceição, em Itabuna.

Charles Sá
Bira Lima
Leila Oliveiras
Maria Passos de Souza
Albione Souza Silva
Sérgio Machado

Os autores Charles Sá, Bira Lima, Mariana Souza, Albione Souza Silva, Leila Oliveiras, Sérgio Machado e Egnaldo França receberão o público para autografar suas obras. A professora Janete Ruiz Macedo, do Centro de Documentação e Memória Regional (Cedoc) da Uesc e curadora do espaço, informa que é primeiro evento do gênero organizado pelo espaço que busca promover e resgatar a cultura grapiúna.

O escritor Albione Souza e Silva autografa sua obra Os Despossuídos da Terra. O autor Bira Lima fará o lançamento do seu libro Kúesis, a escritora Leila Oliveira apresenta e autografa o seu livro infantil Asas. Autor de cinco livros, Charles Sá autografa as obras no campo da história Festas, Bahia Pombalina, O Sagrado no Tempo, Mundos Coloniais e História e Literatura.

Já Sérgio Machado que além de escritor é advogado autografa o livro Olhos de Deus. A trilogia A Lição do Mago será autografado pela escritora Mariana Souza, enquanto Egnaldo França apresenta a obra Sabor de Poeta.

Janete Macedo ressalta que o evento busca a promoção da arte e fomentar a cultura regional e incentivar a leitura das obras de autores regionais. “Queremos promover nossos autores e incentivar a leitura “, pontua a educadora.

O sucesso da ilheense Elisa Oliveira na Bienal Internacional do Livro São Paulo


A educadora ilheense Elisa Oliveira, autora da coleção Convenção das Corujas, publicada pela Editus, editora da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), lançou a coleção infantojuvenil na Bienal Internacional do Livro São Paulo que é o maior evento nacional do setor editorial.

O lançamento aconteceu no domingo (03) no estande da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (ABEU).

O trabalho lançado pela professora traz textos reflexivos e sensíveis sobre temas da filosofia e da atualidade.

“Os temas são uma provocação para sair do pensamento do senso comum para o pensamento filosófico. Nossa proposta é a formação de leitores críticos”, explica Elisa.

“Gostei muito dos temas e a proposta do trabalho porque tenho interesse no desenvolvimento do pensamento infantil”, comentou a estudante de pediatria Larissa Brandão.

“Estar presente no lançamento da coleção da amiga Elisa é mostrar para todos a importância da filosofia para as crianças e como o turismo pedagógico dialoga com a educação”, afirma Anna Lívia Ribeiro da agência de turismo Via Destino.

Elisa destaca, emocionada, que a participação na Bienal “foi um momento especial para celebrar a filosofia para crianças”.

PROGRAMAÇÃO DO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS EM JUNHO COM TEATRO, CINEMA, MÚSICA E ASTRONOMIA


 

Nesse mês de junho que se inicia, o grupo Teatro Popular de Ilhéus (TPI) traz atividades de teatro, cinema, música e astronomia gratuitas para todos os públicos em praças das cidades baianas de Ibiassucê e Ilhéus.

“Sonhos, o que restou de nós depois da tempestade” o mais recente espetáculo-instalação da trupe será apresentado na noite de abertura da 6a. MOSTRA DE TEATRO DO VELHO CHICO, no próximo dia 06 de junho, segunda-feira, às 20:30h, Praça do Rebentão, em Ibiassucê, no sudoeste baiano.

De volta à Praça São João Batista, no Pontal, em Ilhéus, no dia 11 de junho, sábado, às 19 horas, o TPI realiza sessão do CINEMA INCIDENTAL, com a exibição de curta-metragem da época do cinema mudo, “Viagem à Lua” (1902) de Georges Méliès, acompanhada pelos músicos Cabeça Isidoro e Pablo Lisboa que se revezam em vários instrumentos para tocar ao vivo uma nova e original trilha sonora.

Nesta mesma noite, logo após o término do filme, o OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO DA UESC montará telescópios na praça para observação do céu. O destaque será dado à Lua em sua fase crescente. O contraste entre luz e sombra revela imensas crateras e montanhas na superfície lunar e o público poderá contemplar essa imagem.

No sábado seguinte, 18 de junho, a dupla musical volta a se apresentar na praça São João Batista, desta vez às 18:30 horas em mais uma sessão do Cinema Incidental, exibindo “Dia de Pagamento” (1922) filme mudo, escrito, produzido, dirigido e protagonizado por Charles Chaplin. A sessão-show dura apenas 20 minutos, e consegue deixar o público extasiado ao reviver a genialidade cômica do eterno Carlitos junto com a criatividade musical dos artistas ao lado do projetor. Devido aos festejos do São João, não haverá apresentações do TPI no último final de semana do mês, no Pontal.

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural privada, parcialmente mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia e Governo do Estado da Bahia.

 

Cacau Valley iFestival abriu as portas da inovação e tecnologia no sul da Bahia


O Cacau Valley iFestival maior evento de inovação, tecnologia e capacitação empresarial do Sul da Bahia iniciou, oficialmente, as atividades na quarta-feira (25), no auditório do Hotel Praia do Sol. No início da noite foi realizada uma cerimônia para marcar a abertura do evento promovido pelo Sebrae em parceria com a prefeitura, SENAI/CIMATEC e CDL. O Cacau Valley iFestival integra a programação da Semana de Inovação de Ilhéus. Após a cerimônia de abertura foi realizada a palestra do futurista e Head de inovação, de Luiz Candreva.

O evento reuniu empreendedores das diversas cadeias produtivas da região sul e segue até sexta-feira (27), uma programação exclusiva com painéis, oficinas, palestras e dinâmicas nos espaços que irão abordar conteúdos relacionados à transformação digital, branding, inovação na indústria de alimentos, futuro do setor automotivo, tendência da moda, perpassando pela transversalidade da inovação.

Durante a abertura, a gerente regional do Sebrae em Ilhéus, Claudiana Figueiredo apresentou detalhes do evento e ainda incentivou a participação nas diversas atividades ofertadas. “Essa é uma oportunidade que temos de mergulhar em uma experimentação de conteúdos focados em produtividade, digitalização, conectividade, metaverso, desenvolvimento de novos produtos, branding, storytelling, cultura maker e muito mais para ampliar, gerar novos negócios e alavancar a região”, disse.

“O futuro dos negócios e os negócios do futuro”, foi o tema da primeira palestra do evento já apresentada em cinco países. “O futuro é de quem sabe navegar no caos e fica confortável nele. É preciso explorar as facetas da inovação no passado e presente, fazendo um paralelo entre as mudanças e vivenciando oportunidades. É o momento de quebra absoluta de paradigmas”, destacou o palestrante Luiz Candreva.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Ilhéus, Ederjunior Santos, destacou a importância do evento. “A gestão municipal entende que através da inovação a gente consegue agregar empresas e atrair parceiros para ampliar o desenvolvimento da cidade e da geração do emprego e renda. Este é um trabalho conjunto para trazer novas oportunidades e tornar os negócios mais competitivos”, afirmou.

Já o secretário de Indústria, Comércio, Emprego e Renda de Itabuna, José Raimundo Santos, destacou o evento como um marco para o desenvolvimento empresarial. “O evento promove o desenvolvimento, apresenta as disrupturas das ações, mostra novas perspectivas, com a tecnologia agregada ao comércio, à indústria, ao desenvolvimento, na geração da renda, no desenvolvimento do capital humano, portanto é imensurável os benefícios futuros”.

O empreendedor ilheense, Paulo Sérgio Santos, proprietário da Ceo Modas, falou da importância do temática para agregação de conhecimento e desenvolvimento prático. “Somos parceiros do Sebrae há 30 anos quando iniciei minha atividade empresarial e é importante estarmos sempre atualizados e em busca de inovação, e essa é a expertise do Sebrae nos despertar para evolução, através de capacitações e esse evento é mais uma oportunidade para colocarmos em prática os conhecimentos adquiridos”, pontuou.

O mesmo sentimento de necessidade de expandir conhecimento foi compartilhado pelo empreendedor de Itabuna, Renê Joaquim, proprietário de pet shop. “Precisamos sempre buscar e trazer melhores experiências para a empresa, para os funcionários, para o dia a dia, e aumentar as vendas, por isso, o Sebrae está de parabéns por promover um encontro tão oportuno como este”, celebrou.

Um dos principais ativistas do Movimento Maker no Brasil, Edgar Andrade, é o primeiro palestrante da quinta-feira (26), segundo dia do evento, e irá ensinar como a Cultura maker e a inovação podem ajudar a perder o medo de errar. “É importante encarar o desafio de tentar fazer algo diferente, todos os dias e sem medo. Vamos aprender na prática a usar as principais ferramentas para colocar seus projetos no mundo.”

Ele ainda orientou sobre a os três pilares que serão abordados para auxiliar o empresário nessa tomada de decisões. “O Mapa dos Desejos, para quem não tem ideia do que fazer, ou o Ciclo da Invenção, para quem já identificou um possível problema ou oportunidade, e o Mapa de Contatos, para ajudar a organizar a estratégia de prospecção também serão apresentados durante a palestra”, informou.

O Cacau Valley iFestival conta com mais de 40 atividades de capacitação, com público médio diário de 1.500 participantes de diversos segmentos empresariais. São mais de 1.900 vagas de capacitação, divididas em seis espaços: Arena Maker, Arena Inovar, Lounge Mobiliza, Espaço Insighs, Espaço Lab e Espaço Trend que podem ser escolhidos pelo participante ao acessar o local. A programação completa pode ser conferida no link: https://bit.ly/CacauValley.

Renata Ettinger lança seu terceiro livro de poemas “A mesma vida é outra”


A obra será lançada em 2 de junho, às 18h30, no restaurante Cuia Gastronomia, no Rio Vermelho, em Salvador.

Um olhar demorado sobre recortes da vida: a poesia, o próprio tempo, o corpo-casa e suas implosões, amores, mortes e renascimentos. É assim que Renata Ettinger dá vida ao seu terceiro livro de poemas ‘A mesma vida é outra’, uma narrativa poética sobre transformações. A obra, publicada de forma independente, já está disponível para pré-venda e será lançada em 2 de junho (quinta-feira), a partir das 18h30, no restaurante Cuia Gastronomia, localizado no espaço Colaboraê, no Rio Vermelho. O encontro contará com sessão de autógrafos e apresentação dos poemas pela autora e convidados. O título custa R$ 40 e estará disponível para venda no site www.renataettinger.com.br ou diretamente com a autora pelo instagram @renataettinger.

Na obra, escrita durante o período de isolamento social imposto pela pandemia, Renata experimenta a ciência do tempo e, por meio de sua escrita potente, nos convida a enxergar que sempre há novas possibilidades dentro da mesma vida. “Gosto de pensar este como um livro sobre transformações e processos. O próprio título já traz a mudança. A mesma vida é outra é um livro de percurso, desses que a gente vai e volta e, se não estamos mais no mesmo lugar, também estamos. É uma espiral. Os recomeços insistem, incluem a estrada já percorrida e incluem nossas transformações. Por isso, também é um livro sobre estar em movimento, sobre o tempo e sobre estar viva”, revela a autora.

O livro tem a orelha assinada pela poeta e fundadora da Editora Mormaço, Maria Luiza Machado; prefácio pela escritora e psicóloga Luisa Benevides, e posfácio por Thainá Carvalho, escritora e colagista. “Em A mesma vida é outra, vemos a mesma mulher-poeta de “Grito”, dos áudios diários de seu podcast e dos pequenos vídeos nas redes sociais. Mas também vemos uma outra: que se sustenta no trabalho com a palavra durante esses dois últimos anos de incertezas e desespero. Ler Renata aqui, é, acima de tudo, relembrar o motivo de termos escolhido ler e fazer poesia um dia, e nos preencher com todos eles para continuar escrevendo, lendo e vivendo”, destaca Maria Luiza Machado.

Sobre a autora

Baiana, nascida em Itabuna, Renata Ettinger é uma poeta e dizedora de versos que encontrou na palavra um lugar de ser. Publicitária e arteterapeuta, ela fala pelos poemas desde os 12 anos e já publicou os livros “GRITO: silêncios ecoando em minha voz” (2020), “Oito Polegadas” (2018) – uma coletânea lançada com os poetas Mário Garcia Jr., Nalini Vasconcelos e Ricardo Guedeville – e “Um eu in verso” (2002), todos de forma independente. Leitora voraz de poesia contemporânea, durante o período de isolamento social, realizou o projeto “Quarentena com Poema (QCP)”, em que compartilhou um poema em áudio por dia com amigos e interessados em poesia. Foram 215 dias consecutivos de poesia para ouvir e sentir, com mais de 70 autores contemplados. Depois, Renata criou o podcast “Trago Poemas”, iniciativa que caminha para o segundo ano em formato semelhante ao QCP. Ambos podem ser conferidos nas principais plataformas de streaming (Spotify, Deezer, Google Podcasts, entre outras). Para mais informações, basta acessar o instagram @renataettinger.

“O Tubarão” cai nas graças dos famosos e revela origem na música


Autor de “Me chama de amor”, estourado, fala sobre planos, sonhos e faz revelações; da Bahia para o mundo.

Por Celina Santos

Olhar sereno e firme; corpo franzino; ouvido atento. Diante da fama repentina, poucos teriam essa imagem do artista que está estourado no mundo com o hit “Me chama de amor”, não é?

Mas foi assim que “John”, o Tubarão, chegou na manhã desta terça-feira (17) à redação do Diário Bahia/Revista Bellas. Veja o que ele nos contou, numa entrevista de aproximadamente 40 minutos.

Nascido em João Pessoa (PB) e registrado como Edielck Lima de Souza tem 18 anos e disse que a famosíssima música surgiu há uns dois meses.

Numa parceria com MC Treyce, cada um escreveu parte da letra e depois juntou. Ele é defensor de ver a “arrochadeira” ganhar o mundo; ela colocou um tempero de funk e… explodiu! E agora?

Durante nosso bate-papo, a música chegava ao “Top 25” no aplicativo Spotfy, em Portugal; ao Top 21 no Paraguai; ao Top 3, no Viral Brasil e Top 23 no mundo.

Ou seja, ganhando o mundo, inclusive com direito a vídeos de famosos mostrando a dancinha no Instagram. Leia-se Anitta, Danny da Timbalada, entre outros. Pronto. A coreografia viralizou (verbo bem da moda hoje, hein?).

Pronto pro auge

A carreira hoje é conduzida pelos empresários baianos (2F Produtora e Bacon Produções) e, simplesmente, só há vaga na agenda de julho em diante. Tá bom?

Mas ele quer muuuuito mais. Frente a frente, vimos um garoto ambicioso, que deseja investir na própria carreira, aprender mais instrumentos (além do violão, que já toca), quer o tingue-liingue da sanfona, teclado…;). Também faz “mídia trainning”, para participar de entrevistas, quer um estúdio próprio, para continuar pondo os próximos hits em formato profissional…

Ah! Ele sonha em ver a arrochadeira com seu devido valor, como ocorre com o pop, o rock, o brasileiro samba, entre tantos outros ritmos. Num sonho bastante nobre, quer ver Trio da Huanna também pelo mundo. A gente adora, hein?

Para lhe contar mais, nosso leitor, seguirá uma segunda matéria sobre a vida desse rapaz criativo, audacioso, que escolheu pintar o cabelo de azul para combinar com o mar e o animal que lhe deu o hoje famoso nome artístico. Que tal?

Exposição “Toponímia de Itabuna: ruas e avenidas revelam histórias” recupera história da cidade


“Toponímia de Itabuna: ruas e avenidas revelam histórias” abre a série de exposições temporárias do novo Centro Cultural Teosópolis. Ela recupera a história de Itabuna, por meio dos seus personagens, desbravadores que construíram e fizeram a história do município sul baiano. Mostra também personagens do cenário nacional que dão nome às ruas da cidade

O novo Centro Cultural Teosópolis, inaugurado na última sexta-feira (6), fica localizado na Praça dos Eucaliptos, no Conceição, em Itabuna.

Desenvolvida pela UESC, a exposição é um verdadeiro sobrevoo sobre o município. Funciona das 14h às 17h30min e conta a história de figuras como o pastor Hélio Lourenço da Silva, Fernando Cordier, Manoel Leão, João Soares, Maria Pinheiro, Daniel Gomes, Sarinha Alcântara, Simão Fitterman, José Alcântara e Paulino Vieira, pessoas que dão nome a ruas e bairros de Itabuna, verdadeiros desbravadores do município.

“A exposição traz para nossos jovens a compreensão de como foi construída a nossa Itabuna”, explica o reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Alessandro Fernandes. A universidade é parceira do projeto.

No passeio por Itabuna, por meio de painéis, é relatada a história de vida de Aziz Maron, Mário Padre, Inácio Tosta Filho, Comendador Firmino Alves, Felix Mendonça, José Soares Pinheiro, Corbiniano Freire e Amélia Amado

A exposição também traz vida e obra de Olinto Leone, primeiro intendente de Itabuna, engenheiro responsável pela primeira planta da primeira igreja Matriz de São José de Itabuna e o primeiro Fórum de Justiça, além de medições para a planta urbana da própria vila. “É uma oportunidade para que a nossa população possa conhecer a nossa história”, diz a educadora Janete Ruiz Macedo, da Uesc.

Homens que deixaram um legado na história de Itabuna e que dão o nome a uma praça, como o pastor Hélio Lourenço da Silva, paraibano com uma vasta obra social e educacional realizada em Itabuna. Exemplo do Mutirão Macho, para prevenção do câncer de próstata, o maior do Brasil. Responsável pela implantação dos Encontros de Casais com Cristo e o Encontro de Jovens, que visam fortalecer as famílias. Ele era casado com a musicista Cacilda Lourenço da Silva, que dá nome ao Centro Cultural.

Traz ainda a história de vida de Laura Conceição, Gileno Amado, o advogado Lafayete Borborema e, também, personagens da vida nacional como Juraci Magalhães e Barão do Rio Branco, que emprestam seus nomes a avenidas e ruas de Itabuna.

A exposição está aberta a estudantes e a comunidade em geral gratuitamente, até setembro de 2022. Visitantes serão guiados para conhecer a exposição e o Centro Cultural.

Mantido pela Associação de Beneficência e Cultura Teosópolis, em uma parceria com a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)e a Prefeitura de Itabuna por meio da secretaria de Educação e da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania. “O Centro pertence a Itabuna e seu povo, é um bem cultural para nossa gente conhecer sua história”, pontuou Geraldo Meireles da IBT. Visitas a exposição podem ser agendadas pelo telefone (73) 9 8870-9586.